Cultura

8 de maio de 2015 - 17h03

Cinco filmes sobre a vitória da União Soviética contra o Nazismo


Reprodução
Cena do filme <i>A Queda de Berlim</i> Cena do filme A Queda de Berlim
Documentários e ficções com uma pitada de verdade, as obras selecionadas mostram o outro lado da guerra e a importância desta vitória comunista. Não necessariamente são filmes sobre a frente de batalha, Os Girassóis da Rússia, por exemplo, traz uma das mais belas histórias de amor do cinema e A Infância de Ivan mostra a guerra através dos olhos de uma criança de dez anos.

Padenie Berlina - A Queda de Berlim – (1949.URSS)

A obra nunca foi lançada no Brasil, mas está disponível para download na internet. Lançado na Rússia em 1949, foi tirado de circulação em 1950 e só voltou às telas em 2006 quando foi restaurado, é esta versão disponível atualmente. A obra traz a visão da União Soviética sobre a guerra.

 


Os Girassóis da Rússia


Considerado uma das mais belas histórias de amor do cinema, o clássico é uma dos maiores sucessos de Sophia Loren e Marcello Mastroianni. Não é difícil se emocionar com a história do casal separado durante a Segunda Guerra Mundial. Com uma fotografia impactante de Giuseppe Rotunno e música inesquecível de Henri Macini, a obra faz um recorte importante de uma história de amor em meio ao cenário da maior guerra do século 20.



A Infância de Ivan


A obra do russo Andrei Tarkóvski, de 1962, mostra a 2º Guerra Mundial através dos olhos do pequeno Ivan, de apenas 10 anos. O filme foi o grande vencedor do Lobo de Ouro em Veneza, desbancando os consagrados Jean-Luc Godard e Stanley Kubric. Ivan é órfão e para se proteger parte sozinho em direção a um campo de batalha soviético, onde é acolhido pelos soldados, passa a contribuir com o Exército na medida que uma criança pode fazê-lo, mas em determinado momento se perde, e os soldados só voltam a ter notícias do pequeno quando a guerra termina. 




A balada do soldado


O filme foi produzido ainda na União Soviética, em 1959, sob a direção de Grigóri Tchuckrai. A ficção conta a história de um soldado do Exército Vermelho, Alyocha Skvórtsov, que ao destruir dois tanques alemães, é premiado com uma licença de seis dias para visitar a mãe. Durante sua jornada enfrenta várias dificuldades e cruza com várias pessoas, entre elas, Chura, por quem se apaixona.




O Fascismo de todos os dias

Veiculado pela Mosfilm, a obra intercala imagens do presente (1965), o material capturado do arquivo do Ministério de Propaganda do 3º Reich, a coleção pessoal de fotos de Hitler e fotografias apreendidas de soldados alemães da SS. O diretor e narrador do filme, Mikhail Romm, desenvolve uma aguda reflexão sobre natureza do nazismo, enquanto reconstrói a trajetória de sua ascensão e queda. “O Fascismo de Todos os Dias” é considerado o mais profundo, criativo e impactante documentário realizado sobre o tema.



Leia também: 

Do Portal Vermelho, Mariana Serafini


  • VOLTAR
  • IMPRIMIR
  • ENCAMINHAR

Últimas Mais