Brasil

10 de janeiro de 2017 - 17h04

Almir Fernando propõe a criação de unidades virtuais de Saúde 


Foto Raul Santana/Arte Mauro Campello
A intenção é viabilizar o agendamento online de consultas e outros serviços A intenção é viabilizar o agendamento online de consultas e outros serviços
Segundo a proposta, as páginas na internet serão utilizadas para divulgar a área de abrangência, assim como breve histórico da unidade, imagens e dados epidemiológicos da região; prestar informações sobre o funcionamento, endereço, formas de acesso, telefone para contato, expediente, horários, serviços prestados, equipe local e documentação necessária para atendimento.

“A possibilidade do contato do paciente com a Unidade em que está cadastrado sem sair de casa ou sem depender do atendimento telefônico traz inúmeras vantagens para as duas pontas do sistema”, defende o parlamentar.

As Unidades Virtuais de Saúde deverão também divulgar eventos e cronograma de atividades; prestar informações sobre outros equipamentos públicos de saúde do município; disponibilizar espaço para que os usuários possam enviar mensagens às Unidades, como dúvidas, críticas e sugestões; viabilizar mecanismos que permitam o agendamento de consultas online, entre outras funções.

“É frequente a ida do paciente à unidade apenas para marcar uma consulta ou para buscar informações sobre programas, grade de trabalho da equipe médica, atividades dos grupos específicos, como hipertensos e diabéticos, e sobre as ações básicas de prevenção coordenadas pela Secretaria de Saúde. Nesse sentido, o acesso a informações por meio da internet evita deslocamentos desnecessários para obter orientações que poderiam ser obtidas através do acesso à página virtual”, ressalta Almir Fernando.

O projeto propõe ainda a criação de endereço de correio eletrônico exclusivo para cada Unidade. O parlamentar acredita que essa ferramenta agiliza a comunicação e gerencia de maneira mais racional os recursos humanos da Unidade.

“Conforme relatos de funcionários, muitas vezes, perdem-se horas para buscar uma forma de contato com os clientes, desperdiçando-se um tempo que poderia ser usado em ações mais eficazes de prevenção”, avalia. O projeto também proíbe o uso das páginas para veiculação de propaganda ou publicidade de produtos.

Audicéa Rodrigues, com informações da Câmara Municipal do Recife.
Do Recife



  • VOLTAR
  • IMPRIMIR
  • ENCAMINHAR

Últimas Mais