América Latina
25/08/2016 10h26

Paz na Colômbia é um vendaval de frescor para o continente, diz Correa

O presidente do Equador, Rafael Correa, é um dos primeiros chefes de Estado a comentar a assinatura do acordo de paz definitivo entre o governo da Colômbia e as Farc (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia - Exército do Povo). Durante um programa televisivo local, o mandatário felicitou o país de Juan Manuel Santos e disse que o fim do conflito de mais de 50 anos é “um vendaval de frescor” para toda a América Latina.


América Latina
25/08/2016 9h12

A onipresença de Rafael Correa

“Querido país. Nesse mesmo dia, no ano que vem, haverá um novo governo. Hoje realizo meu último informe à nação”, afirmou, em maio, o presidente do Equador, Rafael Correa, depois de cruzar o tapete vermelho que antecedia a entrada principal da Assembleia Nacional, na capital, Quito.

Por Guilherme Henrique


América Latina
24/08/2016 17h17

A política “altiva e ativa” que José Serra é incapaz de entender

Ex-ministro das Relações Exteriores do governo de Lula e da Defesa na gestão de Dilma Rousseff, Celso Amorim assumiu em junho o comando do Conselho de Administração da Unitaid – agência internacional dedicada a facilitar o acesso de populações pobres a medicamentos para o combate à aids, tuberculose e malária.


América Latina
24/08/2016 16h21

Colômbia encerra Diálogos de Paz e está a um passo do fim do conflito

A Colômbia nunca esteve tão perto de dar por encerrado o conflito que já dura mais de 50 anos. Nesta terça-feira (23) o Governo colombiano e as Farc (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia – Exército do Povo) anunciaram que as negociações para atingir o acordo definitivo de paz foram encerradas. Os Diálogos de Paz aconteceram em Havana, Cuba, durante 4 anos.

Por Mariana Serafini


América Latina
24/08/2016 12h29

Para especialistas, impasse no Mercosul paralisa integração regional

O Mercosul atravessa, nos últimos meses, um impasse em relação a sua presidência pró-tempore. Segundo as normas do bloco, a presidência rotativa, que foi ocupada pelo Uruguai entre janeiro e julho, corresponde à Venezuela no período de agosto a dezembro de 2016. Entretanto, o governo interino do Brasil e os governos de Argentina e Paraguai se opõem à liderança venezuelana e têm tentado impedir que o país assuma a Presidência do Mercosul.

Por Camila Alvarenga


América Latina
24/08/2016 10h29

Como a Bolívia acabou com o analfabetismo

Um milhão de bolivianos adultos aprenderam a ler e escrever nos últimos dez anos, colocando o país, segundo a Unesco, ‘livre’ do problema; programa será tema de documentário.

Por Fellipe Abreu e Luiz Felipe Silva, do Calle 2


América Latina
23/08/2016 15h35

Marcelo Zero: Besta

A especialidade do ministério Temer é a destruição. Como um bando de hunos, dedica-se a pilhar o Estado e a implodir tudo o que foi feito com anos de trabalhos duro.

Por Marcelo Zero


América Latina
23/08/2016 14h04

Governo interino quer exportar o golpe para o Mercosul

O ministro interino das Relações Exteriores, José Serra, nunca escondeu seu total desprezo pelo Mercosul e a integração regional. Segundo ele, o Mercosul foi “uma farsa”, um “delírio megalomaníaco, que paralisou a política de comércio exterior brasileira". Agora tem sido insistente, por palavras e atos, na desconstrução do bloco.

Por Gleisi Hoffmann*


América Latina
23/08/2016 12h54

Mercosul se reúne para decidir se a presidência vai para a Venezuela

Os coordenadores nacionais dos países membros do Mercosul – Argentina, Brasil, Paraguai, Uruguai e Venezuela – se reúnem nesta terça-feira (23) em Montevidéu, para dar uma resposta definitiva sobre a transferência da presidência pró-tempore do bloco para o país de Nicolás Maduro.


América Latina
23/08/2016 11h13

Um milhão de chilenos na rua contra sistema privado de pensões

Governo de Michelle Bachelet está sob pressão para rever modelo de pensões estabelecido durante a ditadura militar de Augusto Pinochet (1973 – 1990). Trabalhadores contribuem com 10% dos seus salários, mas em vez do retorno de 70% prometido recebem de volta em média 35% – e em 90% dos casos, as reformas são metade do salário mínimo.