Temer - O Retrocesso
15/06/2016 19h01

Governo Temer é provisório, mas propõe teto para gastos por 20 anos

O governo é provisório, mas os estragos são duradouros. A gestão interina de Michel Temer anunciou, nesta quarta (15), que enviará ao Congresso uma Proposta de Emenda Constitucional (PEC) que institui teto para os gastos públicos por um período de 20 anos, com possível revisão após 10 anos. Quer dizer que, por duas décadas, os recursos para áreas como Saúde, Educação e Seguridade Social não terão aumento real, independentemente do que aconteça com a economia ou do projeto eleito nas urnas.


Temer - O Retrocesso
15/06/2016 16h07

Paulo Kliass: O desmonte de Temer

O financismo pretende sufocar os serviços de saúde, educação, previdência e demais direitos republicanos que devem ser oferecidos pelo Estado brasileiro.

Por Paulo Kliass*


Temer - O Retrocesso
15/06/2016 15h19

Sicsú: Regra Temer-Meirelles é desastre para Previdência Social

A regra fiscal que estabelece um teto para o crescimento dos gastos públicos, encaminhada ao Congresso nesta quarta-feira (15) pelo governo provisório, é um “desastre” para a Previdência Social. É o que mostra simulação feita pelo economista da UFRJ João Sicsú. De acordo com gráfico elaborado por ele, caso a restrição vigorasse desde 2006, o valor do benefício médio seria quase 40% menor. 


Temer - O Retrocesso
10/06/2016 18h55

“Governo Temer não tem programa econômico, só discurso ideológico”

A poucos dias de completar um mês, o governo provisório de Michel Temer ainda não deixou clara sua proposta para a economia – embora tenha ficado cristalina a orientação de promover cortes que afetam o trabalhador, mas poupam os detentores de riquezas e seus aliados. Para o economista Guilherme Delgado, a gestão Temer não tem um programa econômico para o país, mas apenas um discurso ideológico.


Temer - O Retrocesso
07/06/2016 18h35

Paulo Kliass: Privatização na (des)ordem do dia

A disposição do governo interino em oferecer a Petrobrás ao capital privado só poderá ser freada por meio da mobilização popular contra o golpeachment.

Por Paulo Kliass *


Temer - O Retrocesso
06/06/2016 20h57

Temer promove ajuste seletivo que afeta os mais pobres e poupa aliados

A gestão Michel Temer, que adota o discurso da austeridade, anunciou cortes em gastos sociais, mas defendeu reajuste para servidores e criação de novos cargos. Após críticas à política fiscal da presidenta eleita Dilma Rousseff, aprovou previsão de déficit de R$170 bilhões. Professor de Economia da Unicamp, Pedro Paulo Zahluth Bastos aponta “hipocrisia” no discurso do governo, que, para ele, faz cortes “seletivos”, que atingem a maioria da população e poupam aliados do impeachment.


Temer - O Retrocesso
06/06/2016 14h17

Se regra Temer valesse desde 2006, Educação teria 70% menos verbas

O presidente provisório Michel Temer quer estabelecer um limite máximo para os gastos primários do governo. Caso a iniciativa prospere, será permitido que as despesas cresçam apenas o equivalente à inflação do ano anterior. Se a regra já estivesse em vigor, teria significado, entre 2006 e 2015, uma perda de verbas na área da Saúde de R$ 178,8 bilhões e, da Educação, de R$ 321,3 bilhões. Os cálculos são do economista da UFRJ, João Sicsú, que aponta a tentativa de destruir direitos sociais.


Temer - O Retrocesso
01/06/2016 20h22

Mudança na Previdência prejudica trabalhadores para favorecer capital

Para o professor de economia da Unicamp Eduardo Fagnani, o debate sobre a reforma da Previdência – defendida pelo governo Michel Temer – é uma face da luta de classes no país. Segundo ele, as elites financeiras nunca aceitaram os direitos sociais garantidos na Constituição e utilizam velhos mitos para atacar a Previdência e capturar seus recursos. Fagnani é taxativo ao afirmar que não há deficit no setor e que a reforma prejudica trabalhadores e não deve sanar a questão fiscal no curto prazo.


Temer - O Retrocesso
31/05/2016 15h15

“Tirar dinheiro do BNDES não é remédio, é veneno para o Brasil”

Em discurso no plenário, o senador Jorge Viana (PT) teceu duras críticas à medida anunciada pelo presidente provisório Michel Temer (PMDB), que determina a devolução de R$ 100 bilhões do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) ao Tesouro. Segundo ele, o governo interino pretende, assim, retirar recursos de investimentos – que geram emprego – para pagar juros da dívida. “Isso que não é remédio, é veneno para o Brasil”, diz o senador.


Temer - O Retrocesso
27/05/2016 10h16

Grazielle: Direitos cabem no Orçamento; "bolsa milionário", não

As medidas anunciadas pelo presidente provisório Michel Temer (PMDB-SP) apontam para reduzir o gasto público - com cortes em políticas e direitos sociais. A justificativa é equilibrar as contas do governo. Trata-se do antigo mantra neoliberal de que as garantias da Constituição de 1988 não cabem no Orçamento. No entanto, segundo Grazielle David, especialista em orçamento público, o que não cabe nas planilhas financeiras do Estado é o que ela chama de “bolsa milionário”.

Por Joana Rozowykwiat