Vermelho

www.vermelho.org.br

25/06/2019

4º ENMA discute investimentos públicos na Ciência

O Secretário da SECITECE, Inácio Arruda, destaca o papel corajoso e destemido de cientistas e pesquisadores brasileiros nesses tempos tão difíceis.

Discutir procedimentos diferenciados para obter recursos para pesquisa e levantamento de outras fontes de financiamento, diante da situação política e econômica atual, é um dos objetivos do 4° encontro Nacional de Membros Afiliados a Academia Brasileira de Ciências (4ENMA), que acontece em Fortaleza de 24 a 26 de junho, no hotel Luzeiros. O secretário da Ciência, Tecnologia e Educação Superior, Inácio Arruda, participou da solenidade de abertura ao lado do presidente da ABC, Luiz Davidovich.

Na sua fala, o secretário destacou o papel corajoso e destemido de cientistas e pesquisadores brasileiros nesses tempos tão difíceis. “Não há país independente, soberano, sem ciência e tecnologia”, ressaltou, acrescentando que não existe industria forte sem um grande trabalho de pesquisa.

Para Inácio, as universidades brasileiras vêm resistindo bravamente aos cortes de recursos, produzindo conhecimento, produzindo ciência, desenvolvendo novas tecnologias. “A produção científica brasileira é um exemplo para todo o mundo”, afirmou.

O secretário ressaltou ainda o trabalho da ABC, tendo a frente Luiz Davidovich, que vem enfrentando com muita seriedade e coragem todos os desafios impostos à ciência, tecnologia e educação, nesse momento tão difícil que passa o Brasil. Sem investimento em CT&I o país não cresce, informou.

Participaram da solenidade de abertura o reitor da Universidade Federal do Ceará, Henry Campos; o representante do Ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Aristides Pavani Filho; o presidente da Fundação Cearense de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico (FUNCAP), Tarcísio Pequeno, o presidente do Instituto Serrapilheira, Hugo Aguilaniu, o presidente da Embrapii, Jorge Guimarães, e os professores Carolina Horta, da Universidade Federal do Goiás, e Eduardo Bedê Barros, do Departamento de Física da UFC, integrantes do Comitê Científico do 4º ENMA.

A busca de novas formas de financiamento

O 4º Encontro Nacional de Membros Afiliados da ABC tem como temas alternativas ao financiamento público para a ciência e comunicação científica para a sociedade.

O professor Eduardo Bedê Barros explicou que o ENMA ocorre de dois em dois anos com o objetivo de discutir a ciência. Nesta edição, diante das limitações de financiamento para a pesquisa científica no Brasil, está sendo dado foco à discussão sobre a necessidade da busca de novas formas de financiar a ciência nacional.

Outro aspecto desta quarta edição do encontro é a necessidade sentida pelos pesquisadores de melhor comunicar a ciência para a sociedade. De uma maneira geral, há um desconhecimento do público leigo sobre a importância da ciência básica.

A programação do evento vai contar com palestras que motivarão as discussões em grupos nos workshops temáticos e, ao final do encontro, o resultado das ideias surgidas nos grupos será apresentado pelos relatores e integrantes do Comitê Científico e fará parte do documento final.