Vermelho

www.vermelho.org.br

25/02/2019

Nem com uma Flor vai às ruas do Recife contra a violência de gênero 

Fiel ao propósito de unir mulheres na luta pelo fim da violência de gênero também no carnaval, o bloco Nem com uma Flor, da Secretaria da Mulher do Recife, ocupará mais uma vez as ruas do Recife Antigo nesta quinta (28), com concentração às 15h, na Praça do Arsenal. O tema da folia "Nem mais, nem menos: iguais" remete à campanha educativa que a secretaria desenvolve desde 2017. O desfile do bloco será animado pela Orquestra Só Mulheres, Maracatu Baque Mulher e Joana Flor. 

Como em anos anteriores, as camisas da agremiação serão trocadas por kits de higiene pessoal, contendo um pacote de absorvente, um sabonete e um creme dental cada, que serão doados às mulheres da Colônia Penal Feminina. A troca do kit pela camisa acontecerá nesta terça-feira (26), na Avenida Oliveira Lima, 824, Boa Vista (antigo Colégio Nóbrega), das 9h até acabar o estoque.

Este ano, o Nem com uma Flor homenageia duas mulheres de fibra: a professora e ativista ambiental Luci Machado e a gestora de Recursos Humanos, Agricélia Genuíno.

Luci Machado é professora de português e francês. Milita politicamente desde muito jovem. Passou pela Ação Pastoral Católica e participou ativamente da resistência ao regime militar e do movimento sindical. Hoje é uma dos coordenadores do Movimento em Defesa da Mata do Engenho Uchoa, que reúne moradores de bairros situados no entorno de área remanescente da Mata Atlântica localizada na Zona Oeste do Recife, e continuamente ameaçada por desmatamentos e ocupações irregulares. Luci é ainda fundadora e coordenadora da T.C.M. Arrebenta Sapucaia, versão carnavalesca do Movimento, que há 13 anos anima a folia de bairros como Barro e Tejipió.

Agricélia Genuíno é recifense e porta-estandarte do Nem com uma Flor desde 2002. Trabalhou na Secretaria de Saúde do Recife quando o bloco foi criado em parceria com a Coordenadoria da Mulher. É pioneira no bloco e no Conselho da Mulher do Recife. Feminista assumida já fez parte do Fórum de Mulheres de Pernambuco e hoje é filiada à União Brasileira de Mulheres (UBM). Também fundou outro bloco que uniu sua paixão pelo carnaval com a causa que defende: o Sou Solteirinha, de Dois Unidos, que deixou de existir.

Do Recife, Audicéa Rodrigues, com informações da Secretaria da Mulher do Recife.