Vermelho

www.vermelho.org.br

20/02/2019

"Nós temos lei", afirma cônsul da Venezuela durante evento em Salvador

A Frente Brasil Popular (FBP) realizou, na última terça-feira (19/02), em Salvador, uma plenária para discutir a situação da Venezuela, com a participação da cônsul venezuelana, Sônia Jacqueline Rossel. O evento, que aconteceu na sede da APUB, contou, também, com o apoio do Centro Brasileiro de Solidariedade aos Povos e Luta pela Paz (Cebrapaz) e da Associação Cultural José Martí (ACJM).

A Frente Brasil Popular (FBP) realizou, na última terça-feira (19/02), em Salvador, uma plenária para discutir a situação da Venezuela, com a participação da cônsul venezuelana, Sônia Jacqueline Rossel. O evento, que aconteceu na sede da APUB, contou, também, com o apoio do Centro Brasileiro de Solidariedade aos Povos e Luta pela Paz (Cebrapaz) e da Associação Cultural José Martí (ACJM).

No encontro, a cônsul relatou o que, de fato, tem acontecido na Venezuela, a partir dos ataques ao governo do presidente Nicolás Maduro. Segundo ela, há um plano, capitaneado pelos Estados Unidos, para desestruturar o país, que passa, principalmente, pela via do bloqueio econômico e do questionamento sobre a democracia venezuelana.


Rossel defendeu que são infundadas as críticas sobre a falta de democracia no país e condenou Juan Guaidó, que se autoproclama presidente. “Na Venezuela, quem manda é o povo. É o povo quem decide. Quem foi eleito foi Nicolás Maduro, e ele defende o diálogo e a paz. Não se pode aceitar alguém que se autoproclama presidente. É uma coisa doida. É como se você se autoproclamasse presidente da Inglaterra. Nós temos lei!”, disse.

O evento faz parte de uma série de atividades realizadas na Bahia em solidariedade à Venezuela. Para a presidenta estadual da ACJM, Ivone Souza, a ideia é levar à sociedade o contraponto ao que a mídia tem dito sobre o que acontece no país, e, depois, ampliar os debates, que deverão ser feitos, também, nos espaços públicos.

“Vamos fazer mais. Não dá para só realizar esses atos dentro de quatro paredes. É preciso ocupar as ruas para que as pessoas saibam, de verdade, o que está acontecendo. Não dá para acreditar, apenas, no que a mídia vem falando”, defendeu Maria Ivone.

Contrainformação

O presidente do Cebrapaz, Antônio Barreto, relacionou o que acontece na Venezuela com o cenário da eleição do presidente brasileiro Jair Bolsonaro, que foi marcada pelas notícias falsas, as fake news. Para ele, a estratégia é mentir sobre o povo venezuelano, de modo a justificar uma possível intervenção norte-americana.

“O que está acontecendo na Venezuela é uma farsa, uma manipulação das informações, como acontece no Brasil. Estão usando os meios de comunicação de massa para deturpar o que está acontecendo na Venezuela para facilitar a entrada do governo dos Estados Unidos, que quer ocupar o governo para usufruir de suas riquezas”, disse Barreto.

Colonização

Na avaliação de Aurino Pedreira, da Frente Brasil Popular, a mira dos EUA contra a Venezuela faz parte de um projeto dos grandes países, que estão em crise, para colonizar os vistos como menores. “Há uma intenção dos Estados Unidos de colonizar a América Latina. Esse é o grande detalhe, e esse ataque à Venezuela é parte disso. Nós, latino-americanos, precisamos estar atentos a isso, porque somos de paz”, afirmou.

O evento da FBP também contou, na mesa de discussões, com a presença de Márcio Lima, representante do Movimento de Trabalhadoras e Trabalhadores por Direitos.


De Salvador,
Erikson Walla