Vermelho

www.vermelho.org.br

03/08/2018

Manuela: É preciso tratar com urgência o tema do aborto no Brasil

Ao participar do Festival pela Vida das Mulheres nesta sexta-feira (3), em Brasília-DF, Manuela d’Ávila, candidata do PCdoB à Presidência da República, afirmou que é preciso tratar com urgência o tema da descriminalização do aborto no Brasil, para evitar a morte de muitas mulheres, em sua maioria negras e pobres, em decorrência de práticas clandestinas.

“Nós não estamos falando sobre mulheres fazerem aborto. Nós estamos falando sobre a vida das mulheres, sobretudo das mulheres negras e pobres”.

Com um lenço verde no pescoço – símbolo da luta pela despenalização do aborto na Argentina – Manuela ressaltou que as mulheres são penalizadas pela ausência de políticas públicas.

“Estamos no final de 2018 e o nosso debate ainda é sobre a descriminalização do aborto. Por que? Porque somos trancadas em casa com a ausência de políticas públicas. Nós somos abandonadas pelo mundo do trabalho em função da maternidade, quando falta creche e escola pública. Somos punidas pelo conjunto das ausências do Estado. Esse país não é um país das suas mulheres, principalmente das mulheres negras”, explicou.

A candidata do PCdoB enfatizou que não existe como pensar em desenvolver o país sem enfrentar as desigualdades de gênero e raça.

“Temos que tirar o manto de hipocrisia sobre a desigualdade que vivemos no nosso país, que é uma desigualdade entre homens e mulheres, mas que é estruturada a partir da desigualdade racial (…) Nós estamos falando sobre as mulheres mais pobres do nosso país, que são por razões históricas, as mulheres negras”.

“O Brasil administra com essas políticas atuais quem vai viver e quem vai morre. É um capitalismo que administra a morte, como dizem alguns”, frisou Manuela.