Vermelho

www.vermelho.org.br

10/04/2018

Batista Lemos: Lutar pela liberdade de Lula é lutar pela democracia

João Batista Lemos, metalúrgico e presidente do PCdoB-RJ, fala sobre sua atuação ao lado de Lula nas lutas dos trabalhadores de São Bernardo do Campo. Para ele, Lula é uma liderança forjada na luta e conhece bem o sentimento do povo brasileiro. Batista defende uma grande mobilização pela liberdade do ex-presidente, que é também lutar pela democracia no Brasil.

O presidente do PCdoB-RJ foi uma das milhares de pessoas que estiveram em São Bernardo do Campo,  na sexta-feira (6) e no sábado (7),  para prestar solidariedade ao ex-presidente Lula em razão da decretação de sua prisão. Em depoimento o Portal Vermelho, Batista Lemos relembrou seu convívio com o então presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de São Bernardo do Campo (agora também de Santo André e São Caetano). Ele destacou que Lula é “um desses indivíduos que aparecem de vez em quando na história, porque ele sabe interpretar o sentimento do povo brasileiro”. Para Batista, uma liderança como Lula se forja na luta política de classes e ele enfrentou a superexploração das multinacionais e a ditadura militar. “Uma liderança como Lula não cai do céu”, enfatizou.

Emocionado por estar no sindicato, onde encontrou diversos companheiros de luta, o histórico dirigente sindical relembrou as duas ocasiões em que o sindicato esteve sob intervenção da ditadura militar para tentar barrar a luta dos trabalhadores. Na época, os metalúrgicos ocuparam o sindicato para mostrar que a entidade lhes pertencia, mesmo com Lula preso. Para Batista, a situação agora se repete na medida em que Lula afirmou que, mesmo preso, continuará andando com as pernas do povo, pensando com a cabeça do povo e falando com a boca do povo. “Neste processo Lula aprendeu com os erros e acertos. Lula vai se engrandecer ainda mais. Ele tem capacidade pra isso, tem convicção pra isso porque defende o interesse da classe trabalhadora”, afirmou Batista.

Batista Lemos considera que a grande tarefa do momento é unir os trabalhadores para ganhar o protagonismo político das transformações que o Brasil precisa. Ao final proclamou: “Viva o Lula! Lula livre! E vamos lutar pela liberdade de Lula porque é lutar pela democracia em nosso país”.

Assista a íntegra do depoimento: