Vermelho

www.vermelho.org.br

23/02/2018

Israel destrói aldeia na palestina pela 125ª vez

Sionistas alegam que vila está em área israelense. Ativista diz que é mentira e que moradias já existiam antes de 1948


As forças de repressão israelenses demoliram nesta quarta-feira, 21, pela 125ª vez a aldeia árabe Al-Araqeeb, em Negev. A informação é da agência Quds Press.

Todas as casas da aldeia, que não é reconhecida por Israel, foram destruídas pelos tratores sionistas e as famílias deixadas ao relento; de acordo com o ativista Aziz Al-Tawari, os israelenses alegam que as moradias estão construídas em território ocupado pelos sionistas.

Ele explica que a aldeia já existia antes da formação do Estado de Israel em 1948. "Nós temos documentos originais que provam que a vila foi construída antes da criação do Estado de Israel", enfatiza Al-Tawari.

Esta é a 125ª vez, desde 27 de junho de 2010, que os moradores de Al-Araqeeb perdem seu teto. "A ocupação israelense está tentando erradicar a identidade da aldeia falsificando a História", frisa o ativista. A última demolição anterior a desta quarta havia ocorrido no dia 24 de janeiro. Al-Araqeeb é uma das 35 aldeias beduínas não reconhecidas por Israel. Mais da metade dos aproximadamente 160 mil beduínos do Negev residem em aldeias que os sionistas não reconhecem.

"Eles querem que nós cedamos nossa terra. Mas nunca vamos fazer isso. Os direitos históricos não desaparecem," enfatiza Al-Tawari.

Os sionistas querem por fim às aldeias beduínas para abrir espaço para a expansão de novos assentamentos israelenses.