Vermelho

www.vermelho.org.br

09/02/2018

Luz, câmera e samba na avenida, os últimos detalhes antes da folia

Imagine a cena: você passou semanas em busca de uma roupa perfeita para uma grande festa. Escolheu o tecido, o caimento, a cor, fez os ajustes, e aí no último minuto, solta um botão, faltou um detalhe... é aquele desespero. Pense isso numa escala de Carnaval, uma das maiores festas populares do Brasil. É neste momento que entra em jogo a Adesp (Associação dos Destaques das escolas de Samba do Estado de São Paulo). A associação fica nos bastidores para fazer o esplendor do desfile acontecer.

Em meio à correria de uma sexta-feira de carnaval, a presidenta da Associação, Izaura Panfili, parou uns minutinhos para conversar com o Vermelho. Ela explicou que este trabalho já vai completar 18 anos. Ao longo destas quase duas décadas, gerações de sambistas passaram pelo camarim da Adesp antes de brilhar na avenida.

“Nós cuidamos dos últimos detalhes das fantasias, da maquiagem, temos costureiras, aderecistas, maquiadores, marceneiros, fazemos o possível para o desfile sair impecável”, explica Izaura que também é artista plástica.

A paixão pelo carnaval ocupa mais da metade do ano de Izaura que em meados de junho, julho, começa a organizar os cursos oferecidos pela Adesp para quem vai trabalhar no Carnaval do ano seguinte. Quem faz estas aulas preparatórias trabalha de forma voluntária nos bastidores da folia ao lado de grandes artistas, estilistas e artesãos.

“Nós valorizamos o trabalho do artesão, e os voluntários aprendem muito, além de ganhar um certificado da Adesp, que eles podem usar para ingressar em outros cursos, eles também adquirem experiência para trabalhar com costura, maquiagem... são muitas portas que se abrem para quem pretende trabalhar com Carnaval”, afirma.



Além de cuidar de todos os detalhes para as fantasias e as maquiagens entrarem na avenida impecáveis, a Adesp tem o cuidado com a segurança dos foliões. Entre os trabalhos desenvolvidos pela Associação está a conscientização sobre a necessidade de se desenvolver mecanismos eficazes de segurança para reduzir ao máximo os acidentes.

Quando vemos aqueles carros alegóricos imensos, todo o sistema elétrico e mecânico que dão conta de tamanho show, precisam ser pensados e desenvolvidos de forma a manter a segurança dos foliões que muitas vezes desfilam há metros de distância do chão. Os voluntários da Adesp colocam a mão na massa para cuidar de cada detalhe.

O camarim serve ainda para armazenar grandes fantasias que devido ao peso e volume precisam ser preparadas com muitas horas de antecedência ao desfile. E cada detalhezinho é pensado com carinho pelos artesãos que passam meses em função de fazer a festa na avenida acontecer.

Neste ano, que a entidade vai completar a maioridade, uma comitiva do consulado da África do Sul foi conhecer o trabalho dos voluntários, às vésperas do Carnaval, nesta sexta-feira (9). Esta é uma forma de promover o intercâmbio das culturas e apresentar ao país irmão um pedacinho da cultura do Brasil.

Segundo Izaura, qualquer pessoa pode participar deste processo, basta participar do curso ao longo dos meses que antecedem o Carnaval. Não precisa, necessariamente, já ter experiência na área. Quem tiver interesse pode entrar em contato com a associação através do e-mail adespcarnavalsp@gmail.com