Vermelho

www.vermelho.org.br

12/01/2018

Cinco livros para conhecer Simone de Beauvoir

A última terça-feira (9) marcou os 110 anos de nascimento de Simone de Beauvoir. Escritora, filósofa, feminista e ativista política, ela foi uma mulher a frente de seu tempo que teve a sensibilidade de retratar em sua obra a vida, as angústias e o desafio das mulheres de sua geração.

Passados quase 70 anos da publicação de O Segundo Sexo, a obra permanece atual, é uma bíblia das feministas. Mas fora esta contribuição à luta pela emancipação das mulheres, De Beauvoir também se destacou na literatura e na filosofia existencialista.

Selecionamos 5 obras fundamentais:

O segundo sexo (volume 1) – Fatos e mitos, de Simone de Beauvoir

Este é o livro que pautou a agenda do movimento feminista em nosso tempo. Um relato enciclopédico e, às vezes, chocante, da condição da mulher num mundo moldado e dominado pelo homem. Não por acaso, esta obra foi incluída na lista negra do Vaticano. Beauvoir é especialmente bem-sucedida na descrição da cumplicidade feminina com sua própria opressão.

Os mandarins, de Simone de Beauvoir

Prêmio Goncourt de 1954, mais importante laureação literária da França, este livro assinala na carreira da autora seu definitivo engajamento político e literário. Romance existencialista, Os mandarins descreve a atmosfera febril da França entre 1944 e 1948: as repercussões da guerra, a agitação intelectual, a corrupção moral, os dilemas e dúvidas da esquerda e, sobretudo, chão coberto de ilusões desmoronadas.

Memórias de uma moça bem comportada, de Simone de Beauvoir

O primeiro volume da autobiografia de Simone é um relato vívido de sua criação dentro de uma família da aristocracia francesa, porém decadente, no começo do século 20. A rebeldia de Simone contra a opressão da igreja e da família fomentam a evolução desta garota que ama os livros e a vida.

A cerimônia do adeus, de Simone de Beauvoir

A estranha e experimental relação de Beauvoir e o filósofo Jean-Paul Sartre durou, entre idas e vindas, cerca de cinquenta anos. Esta obra é o seu apogeu. Um registro dos últimos anos de vida de Sartre e do luto de Simone, A cerimônia do adeus contém, também, uma série de entrevistas com Sartre, onde ele explana suas opiniões sobre política, mulheres, infância e religião.

A Mulher Desiludida

Nos três contos que compõem A Mulher Desiludida, Simone de Beauvoir aborda a velhice, a infidelidade, a solidão, culpa e ingratidão, questões e sentimentos inerentes à vida das mulheres de qualquer tempo. Mas ela o faz como uma mulher dos anos 50 em Paris. Justamente isso é o que assusta, a obra é uma denúncia dos papeis destinados aos homens e às mulheres na sociedade extremamente atual.