Vermelho

www.vermelho.org.br

04/12/2017

Confira a íntegra da entrevista de Manuela no Canal Livre

Manuela D’Ávila, pré-candidata à Presidência da República pelo PCdoB, foi a entrevistada do programa Canal Livre da Band, na madrugada desta segunda-feira (4). Na entrevista, Manuela falou sobre a conjuntura política e as perspectivas da sua campanha para 2018.

“Nossa candidatura é pra valer”, reafirmou Manuela, reforçando que não há contradição entre o PCdoB marcar posição com a sua pré-candidatura e vencer a eleição. “Sim, nós queremos marcar posição e queremos que 2018 o povo debata saídas para a crise. Não nos adianta ter uma eleição que debata o ódio e o medo do povo brasileiro”, declarou.


Manuela destacou ainda a proposta da formação de uma frente ampla para a construção de um projeto nacional. “A amplitude da nossa frente tem relação com o que é necessário para enfrentar essa crise. E nós achamos que é necessário dialogar com as pessoas comuns. O povo brasileiro se mobilizou intensamente na última década. Mas também com os economistas, com aqueles que acreditam numa indústria nacional. É um esforço para a construção de um pacto pelo desenvolvimento do Brasil”, asseverou.


Ao abordar as movimentações dos partidos, Manuela afirmou que há uma tentativa de candidatos da direita se colocarem como candidatos de centro, como se fossem a única alternativa para a crise. “Estamos na iminência de uma eleição em que há um candidato que serve como balão de ensaio para uma extrema direita, uma espécie de organizador do medo e do ódio, para alternativas que são de direita, pois defendem a diminuição absoluta do Estado, se passando como centro”, frisou.

Os entrevistados citaram as alianças feitas pelo PCdoB no governo Flávio Dino, no Maranhão. "O partido fez um acordo entre PT, PSDB... Aquilo é esquerda? É centro? O que é?", questionou o jornalista Fernando Mitre.

"Aquilo é o projeto de retomada da dignidade do povo maranhenses", rebateu MAnuela. "O PCdoB é o partido que transforma o Maranhão com muito aliados. O nosso sentido de frente ampla é de que não é um partido - e talvez seja isso transformador - que será capaz de deter as verdades absolutas sobre como responder os dilemas do povo brasileiro. Sim, no Maranhão há uma grande frente em torno de Flávio Dino. E é a frente que criou a escola de tempo integral naquele estado. É a frente que garantiu que mais de 130 escolas de palha, virassem escolas de concreto. Portanto, não há nenhuma contradição no que nós fazemos no Maranhão", frisou.