Vermelho

www.vermelho.org.br

05/09/2017

UEP elege Manuella Mirella, quinta mulher a presidir a entidade 

Realizado entre os dias 1 a 3 de setembro, em Nazaré da Mata, na Zona da Mata Norte de Pernambuco, o 41º Congresso da União dos Estudantes de Pernambuco (UEP Cândido Pinto) elegeu Manuella Mirella, estudante da Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE), para conduzir os rumos da entidade no biênio 2017/2019. Manu, como é conhecida, é a quinta mulher a presidir a UEP nos últimos dez anos. Ela sucedeu a Flor Ribeiro, que presidiu a Cândido Pinto nos últimos dois anos. 

Centenas de estudantes de diversas instituições de ensino superior do estado participaram do evento que debateu a Educação, traçou as bandeiras de luta e elegeu a nova diretoria da entidade. Os debates giraram em torno do lema ‘Unificar para Resistir’, que traduziu o entendimento da entidade sobre o atual momento político e reafirmou sua luta em defesa da democracia, dos estudantes e do povo pernambucano, bem como a compreensão de que a atual quadra política nacional exige a união de forças “para seguir na luta contra os retrocessos”. O 41º Congresso marcou também a passagem dos 73 anos de existência da UEP.

Debatendo o futuro



A plenária de abertura do congresso contou com a participação de representantes de entidades do movimento estudantil, como a presidenta da União Nacional dos Estudantes (UNE), Marianna Dias, e o presidente da UMES-PE, Lucas Vinícius. Também presentes, integrantes União da Juventude Socialista (UJS); o presidente da CTB-PE, professor Helmilton Beserra; e o vice-presidente do PCdoB Pernambuco, Marcelino Granja (foto abaixo), secretário estadual de Cultura. “Está bonito de se ver nossos estudantes unificando as pautas e os discursos contra o golpe em curso. Parabéns a todos que estão em Nazaré debatendo o nosso futuro por esses dias. Vocês são um exemplo para o Brasil”, ressaltou Marcelino.





No domingo (3), último dia do congresso, foi a vez da deputada federal e presidenta nacional do PCdoB, Luciana Santos (foto acima), participar do encontro. Aos jovens, Luciana lembrou que congressos como o da UEP são indispensáveis para o aprendizado da democracia, tendo na militância estudantil a força para essa consolidação democrática. "O movimento estudantil é a escola da disputa política, que nos ensina a sermos cidadãos e cidadãs. Quando militamos, não somos um mero espectador da história; quando militamos, nós é que estamos fazendo a História", afirmou a dirigente.

Na plenária final no domingo, a presidenta eleita da UEP, Manuella Mirella, ressaltou que a próxima gestão da entidade será um desafio para “cada um”, se referindo à direção eleita e aos militantes. “É o desafio de lutar contra esse governo que só vai contra os direitos dos trabalhadores, só vai contra os direitos dos estudantes. Mas, a UEP, que nunca se negou à luta, agora, mais do que nunca, não se negará. Nós viemos para lutar”, garantiu Manu.

Audicéa Rodrigues, com informações de UEP/UJS/Assessoria de Luciana Santos.
Do Recife