Vermelho

www.vermelho.org.br

19/05/2017

Participação popular em eleições é uma das maiores no Irã

A apuração dos votos foi iniciada no Irã após grande participação popular. Em uma eleição que opõe o presidente Hassan Rouhani, que é visto no Ocidente com bons olhos, contra um candidato que tem sido demonizado na mídia corporativa.

A votação de sexta-feira (19) foi prorrogada por pelo menos cinco horas porque muitas pessoas ainda estavam esperando na fila, informou a televisão iraniana. Segundo o ministro do Interior, Abdolreza Rahmani-Fazli, mais de 40 milhões de votos foram registrados, indicando um comparecimento de cerca de 70 por cento.

Rouhani, que tem 68 anos e assumiu o cargo há quatro anos prometendo abrir o país ao mundo e dar mais liberdade a seus cidadãos, enfrenta Ebrahim Rahisi, um candidato tido como o “preferido” pelo Supremo Líder da Revolução, Ali Khamenei.

Rouhani afirmou que a eleição é importante "para o futuro papel do Irã na região e no mundo", lembrando o acordo com potências mundiais realizado há dois anos que envolve a supervisão do programa nuclear iraniano em troca da suspensão da maioria das sanções econômicas.

Os sinais iniciais de grande participação podem ser uma boa notícia para Rouhani, cujos defensores têm dito que sua maior preocupação era a apatia entre os eleitores reformistas que se decepcionaram com o lento ritmo de mudança.

Raisi, de 56 anos, acusa Rouhani por administrar mal a economia e realizou comícios em áreas pobres prometendo benefícios de bem-estar social e empregos.

"Respeito o desfecho da votação do povo, e o resultado será respeitado por mim e por todo o povo", disse Raisi depois de votar, de acordo com a agência de notícias semioficial Fars.

Raisi também foi até o Ministério do Interior, em Teerã, para protestar por uma suposta escassez de cédulas em muitas seções, de acordo com a Fars. Mais cédulas foram posteriormente enviadas, informou a agência.

Durante semanas de campanha, os dois principais candidatos trocaram acusações em debates televisionados de uma forma ainda não vista na política iraniana.

Cerca de 350 mil membros das forças de segurança foram mobilizados em todo o país para proteger a eleição, relatou a emissora de televisão, mas até a metade do dia não havia relatos de quaisquer irregularidades eleitorais pelo Ministério do Interior.