Vermelho

www.vermelho.org.br

20/03/2017

Surfista Jihad Khodr levará seu talento e a mensagem de paz do Islã

Apoiado pela Federação das Associações Muçulmanas do Brasil – Fambras, o atleta, segundo melhor do ranking brasileiro de surfe profissional, distribuirá “garrafas da paz” durante os eventos.

O surfista paranaense Jihad Khodr, atleta da paz apoiado pela Federação das Associações Muçulmanas do Brasil, Fambras, já divulgou seus próximos desafios, ambos em abril: de 1 a 8 de, participará do Martinique Surf Pro, em Basse-Pointe. E de 11 a 16, do Rip Curl Pro Argentina, em Mar del Plata.

Os dois eventos são parte do Qualifying Series (QS), um caminho para as categorias QS 6000 e Prime. O objetivo de Kodhr é voltar ao WSL Championship Tour (CT).

Além de fazer bonito nas ondas, Jihd Kodhr segue com a missão de levar a mensagem de paz do Islam a duas regiões de extrema importância, o Caribe e a América do Sul. Descendente de libaneses, o surfista vê no islamismo uma força motivadora em seu trabalho.

Durante os eventos, a equipe do Atleta da Paz distribuirá aos presentes uma garrafinha que traz, em seu interior, uma mensagem composta pela palavra “paz” em vários idiomas. “Em ações semelhantes, a participação do público foi surpreendente”, diz Carlos Dias, Diretor de Marketing da FAMBRAS. “Todo o ser humano de bem deseja a paz, independentemente de sua crença”, finaliza Kodhr.

A história de Jihad Khodr

Jihad Khodr é um exemplo de superação. Após perder um título brasileiro de surfe, reencontrou seu equilíbrio na religião e, hoje, é considerado internacionalmente um nome promissor no esporte.

Ele aproveita a visibilidade de atleta para mostrar muito mais do que seu talento nas ondas: é um propagador da mensagem de paz do Islam, caminho que aprendeu com os pais libaneses e que foi fundamental em seu processo de transformação. Jihad, nascido em Matinhos, no Paraná, é o único muçulmano a participar do Circuito Mundial de Surf.

“Nossa ideia é a de levar às pessoas uma mensagem positiva, mostrando que os muçulmanos são pessoas como outras quaisquer, que prezam pela segurança, a educação, o esporte, a cultura e, principalmente, por um mundo melhor. Precisamos que todas as pessoas entendam que ser muçulmano é estar exatamente ligado ao lado bom do mundo. Por isso, realizamos esses gestos que pregam a paz entre as pessoas”, explica Ali Zoghbi, vice-presidente da Fambras.