Vermelho

www.vermelho.org.br

15/03/2017

Mais de 30 mil cearenses protestam contra Reforma da Previdência

O centro de Fortaleza presenciou nesta quarta-feira (15), a maior manifestação de rua dos últimos anos. Mais de 30 mil pessoas ocuparam a região de comércio para lutar contra a Reforma da Previdência.

O comércio fechou, o transporte publicou parou, as aulas foram suspensas. Fortaleza se mobilizou mais uma vez para bradar em uníssono: Fora Temer! Organizados pelas Frentes Brasil Popular e Povo sem Medo em parceria com as centrais sindicais, representantes de diversas frentes dos movimentos sociais, partidos políticos, trabalhadores do campo e da cidade e sociedade civil em geram se somaram às manifestações populares realizadas em todo o país neste Dia Nacional de Mobilização e Paralisação.

A concentração que reuniu mais de 30 mil pessoas saiu da Praça Clóvis Beviláqua, conhecida como Praça da Bandeira, e percorreu as principais ruas do centro. Em apoio ao ato, os comerciários baixaram as portas das lojas e, com acenos e aplausos, saudavam os manifestantes. A região parou! Nos terminais de transporte público da cidade, a saída de ônibus também foi suspensa pela manhã. Diversas classes de trabalhadores aderiram às manifestações.

Professores, bancários, sindicalistas, comerciários, estudantes, mulheres, representantes de diversas frentes dos movimentos sociais cantavam e pediam o fim das reformas propostas pelo governo golpista de Michel Temer. “Um, dois, três, quatro, cinco mil! Se não parar a Reforma nós paramos o Brasil!”, bradavam.

Além das intervenções dos representantes de diversas categorias, os carros de som também trouxeram uma lista de canções que emocionou os militantes. Chico Buarque com sua “Vai passar”; Gonzaguinha em “é, a gente não tem cara de panaca, a gente não tem jeito de babaca”; e ainda o instigador Cazuza, ao dizer “não me convidaram para esta pobre que os homens armaram pra me convencer (...). Brasil mostra a tua cara, eu quero ver quem paga pra gente ficar assim”.

Mais

A pauta que unificou tantas categorias é a luta contra a PEC 287, que modifica a forma de cálculo de todas as aposentadorias, promovendo uma real redução dos valores a serem pagos e pretende fixar 25 anos de contribuição mínima e 49 anos de contribuição para acessar o sistema previdenciário com integralidade. Além disso, ela equipara a idade mínima de homens e mulheres.

O ato desta quarta-feira faz parte de uma agenda de mobilização para barrar a Reforma da Previdência e construir uma greve geral. A primeira manifestação foi realizada na última semana, no dia 8 de Março, data em que se comemorou o Dia Internacional da Mulher e o povo também saiu às ruas contra as medidas de retrocesso impostas por Temer contra o povo e a classe trabalhadora.

Há manifestações programadas em diversas cidades do interior do Estado, dentre elas Limoeiro do Norte, Tianguá, Iracema, Monsenhor Tabosa, Iguatu, Aquiraz, Itapipoca, Tamboril, Tabuleiro do Norte, Maracanaú, Tarrafas, Quixadá, Santa Quitéria, Baturité, Barreira, Canindé, Aurora, Saboeiro, Lavras da Mangabeira, Caririaçu, Crato, Tabuleiro do Norte, Crateús, Quixeramobim, Independência, Senador Pompeu, Guaramiranga, Irauçuba, Brejo Santo e Barbalha.