Vermelho

www.vermelho.org.br

05/11/2015

Dilma é recebida em Maceió com animação pelos Movimentos Socias 

 

A presidente Dilma Rousseff desembarcou em Alagoas nesta quinta-feira (5) ainda pela manhã. Ao lado do governador Renan Filho ela esteve na cidade de Inhapi para a inauguração do trecho três do Canal do Sertão, possibilitando que 77 mil alagoanos tenham acesso à água potável em uma das secas mais violentas da história do país.

“Vim na autorização da obra, participei da inauguração do primeiro trecho, inaugurei os trechos dois e três; e virei, sem dúvida, na entrega dos trechos quatro e cinco, levando água até Arapiraca”, garantiu a presidente Dilma.

À tarde, Dilma teve uma agenda com os empresários de Alagoas. A reunião ocorreu no Centro de Convenções Ruth Cardoso, em Maceió. Lá a presidente foi recebida calorosamente pelos movimentos sociais que, uníssono cantavam “Dilma guerreira da pátria brasileira!”. O PCdoB e a UJS participaram da recepção com seus quadros de dirigentes. As entidades estudantis UNE, UBES e AESA abraçaram a presidente com muito calor. Também as centrais CTB e CUT marcaram presença, bem como o PT e a Via do Trabalho.

Para os militantes da UJS, o melhor momento foi quando a presidente reconheceu a militância e puxou com punho erguido as siglas da entidade: “É a galera da UJS aqui? Como é que grita: U...JS!”, seguiu sorrindo Dilma Rousseff.

A saída dos movimentos do local foi eufórica. Gritando a mesma palavra de ordem com a qual a presidenta foi recebida, os militantes encontraram manifestantes do Movimento Brasil Livre que estava em um número que não superava 20 pessoas gritando “fora corruptos”.

Durante mais de 1h, as duas manifestações se confrontaram pacificamente com suas palavras de ordem. De um lado, os manifestantes democráticos cantavam o hino nacional, do outro, os conservadores levantavam cédulas de dinheiro e gritavam “pão com mortadela!”.

Animados, os aliados do campo popular emendavam uma palavra de ordem seguida da outra, mas a que mais acurralava o outro campo era “fascistas, golpistas não passarão!”

Cansados e em menor número, o MBL se retirou sob a palavra de ordem “ih, fora! ih, fora!”.
Ficaram para se despedir da presidenta aqueles que compreendem a importância de defender a democracia e o sentimento patriótico de defender o Brasil.


Por Mariana Moura