Mundo

12 de fevereiro de 2018 - 12h28

Do Rio ao Reno: o Carnaval pelo mundo



Rio de Janeiro, Brasil

Muita pele, muito brilho e muito samba – esses são os ingredientes do Carnaval mais famoso do mundo. Nas arquibancadas do Sambódromo, dezenas de milhares de foliões acompanham os desfiles das escolas de samba. Depois, a festa continua: nas ruas, nos bares e restaurantes.


Oruro, Bolívia

Aqui, os foliões têm que se adaptar às grandes altitudes, porque a cidade de Oruro está localizada a 3.700 metros de altitude. As máscaras confeccionadas à mão e os trajes tradicionais são a marca registrada dos desfiles, que durante três dias atravessam as ruas, simbolizando a luta entre o bem e o mal.


Nova Orleans, EUA

"Mardi Gras", a Terça-feira Gorda, é o ponto alto do Carnaval em Nova Orleans. A opulência dos carros alegóricos, as fantasias que chamam atenção e o típico som de jazz fazem ferver especialmente o Bairro Francês.


Port of Spain, Trinidad e Tobago

Quem não se diverte a 30°C com trajes cobertos de penas e strass, ao animado som do calipso e alguns copos de rum? Assim é o acalorado Carnaval do país caribenho.


Québec, Canadá

Festejar o Carnaval a 30°C negativos! Somente um "Caribou" – uma mistura de conhaque, vodca, xerez e porto – é capaz de ajudar o folião. Assim como essa bebida tradicional, também faz parte do Carnaval de Inverno de Québec o boneco de neve "Bonhomme Carnaval". A agitação fica por conta de uma grande festa familiar, com competições esportivas, grandes desfiles e muita diversão na neve.


Bonoua, Costa do Marfim

Carnaval na África? Claro! Todos os anos, em abril, dezenas de milhares de pessoas viajam para a pequena cidade de Bonoua, no sul da Costa do Marfim, para comemorar o "Carnaval do Popo", ou seja, o Carnaval das Máscaras. Gays e lésbicas também participam do desfile, embora em outras ocasiões a homossexualidade seja um tabu no país africano.


Mohács, Hungria

O Carnaval no Leste Europeu é geralmente muito ligado ao folclore, como aqui na cidade de Mohács, no sul da Hungria. Espantar o inverno com máscaras de madeira e fantasias de ovelhas é um costume secular. Desde 2009, o Carnaval de Mohács é considerado Patrimônio Mundial da Unesco.


Veneza, Itália

A festa das máscaras de luxo, em Veneza, foi mencionada pela primeira vez em documentos antigos de 1286. Seja na procissão de gôndolas lindamente decoradas sobre os canais ou nos exclusivos bailes à fantasia nos palácios, atrás das máscaras é possível se entregar ao prazer extasiante.


Mainz, Alemanha

Já na quinta-feira, no "Weiberfastnacht" ou "Carnaval das Mulheres", elas ocupam prefeituras e praças, cortam as gravatas dos homens e distribuem generosamente beijinhos. O Carnaval de rua na região do Reno é colorido, exuberante e alegre. Na segunda-feira, ele se torna mais político com o desfile de carros alegóricos satíricos pelas ruas. Tudo acaba na Quarta-feira de Cinzas.


Basileia, Suíça

Entre os foliões no Reno, eles são os mais tardios: somente na semana depois da Quarta-feira de Cinzas, os moradores da Basileia comemoram os seus "Drey scheenschten Dääge", ou seja, os três dias mais belos do ano, com máscaras, figurinos históricos, tambores e flautas. Tudo começa às 4h da segunda-feira com o "Morgenstraich", e tudo acaba exatamente 72 horas depois, na quinta-feira.


Fonte: Deutsche Welle

  • VOLTAR
  • IMPRIMIR
  • ENCAMINHAR

Últimas Mais