Mundo

11 de janeiro de 2018 - 14h36

Tunísia: exército ocupa cidades para impedir protestos 

Cidade de Sousse na Tunísia, ocupada pelo exército Cidade de Sousse na Tunísia, ocupada pelo exército

O governo enviou soldados para Thala, perto da fronteira com a Argélia, onde a sede da Segurança Nacional foi incendiada pelos manifestantes, obrigando a polícia a se retirar da cidade, segundo testemunhas. As Forças Armadas também estão presentes em Sousse, Kébili e Bizerte, para proteger os prédios públicos.

Na segunda-feira (8), um movimento contra as medidas de austeridade, que entraram em vigor no dia 1 de janeiro, desencadeou uma batalha contra o exército tunisiano. Diversas cidades foram saqueadas.

A população protesta contra a alta dos preços dos combustíveis, dos automóveis, da telefonia e do acesso à Internet decididas no orçamento de 2018. O partido islâmico Ennahda, que participa da coalizão governamental, pediu um aumento do salário mínimo e um aumento das ajudas públicas para as famílias mais necessitadas.

De acordo com o porta-voz do Ministério do Interior, Khelifa Chibani, mais de 600 pessoas foram presas desde segunda-feira (8). Diante da contestação, o primeiro-ministro tunisiano, Youssef Chahed, lançou um alerta contra os manifestantes, dizendo que “o Estado protegerá suas instituições e seu povo”.


Fonte: RFI (Via Opera Mundi)

  • VOLTAR
  • IMPRIMIR
  • ENCAMINHAR

Últimas Mais