Mundo

10 de janeiro de 2018 - 17h27

Síria denuncia nova agressão bélica israelense

Sputnik
   

Em comunicado divulgado pela imprensa estatal na terça-feira (9), o Comando Geral do Exército e das Forças Armadas do país árabe afirma que, pelas 2h40 (hora local), caças israelenses dispararam vários mísseis, a partir do espaço aéreo libanês, contra a zona de al-Qutaifa, a nordeste da capital, Damasco, tendo como alvo um depósito de armamento, informam a PressTV e a Prensa Latina.

De acordo com o texto, a defesa aérea síria respondeu de imediato e conseguiu derrubar um dos caças. Meia hora depois, Israel lançou mísseis terra-terra a partir dos Montes Golã ocupados, que, segundo as autoridades militares sírias, foram interceptados.

O último ataque da madrugada de terça-feira (9) teve lugar às 4h15, com o lançamento de mais quatro mísseis israelenses – a partir da região de Tiberíades, no Norte de Israel. De acordo com as fontes referidas, a defesa anti-aérea interceptou um deles, enquanto os outros três caíram nas imediações de uma posição militar síria, provocando danos materiais.

Apoio de Israel a grupos terroristas

No comunicado, citado pela agência Sana, o Comando Geral do Exército e das Forças Armadas sírias chama a atenção para "as graves consequências das agressões" e mostrou-se disposto "a responder aos ataques".

Afirma, além disso, que a agressão feita por Israel é "uma tentativa desesperada de levantar a moral" dos grupos terroristas armados "derrotados" no país árabe.

Israel não comentou os ataques denunciados por Damasco. Nos últimos anos, têm sido frequentes os ataques israelenses a alvos militares sírios, numa tentativa de fazer frente aos contínuos triunfos das tropas do Exército Árabe Sírio (EAS) e seus aliados sobre o Daesh e a Al-Nusra.

O apoio israelense, turco, de países árabes do Golfo e de várias potências ocidentais a grupos armados terroristas na Síria é, aliás, há muito tempo conhecido. No caso de Israel, são conhecidos os hospitais de campanha que montou para curar terroristas feridos em combate contra o EAS.

Para além disso, o EAS e seus aliados têm apreendido grandes quantidades de armamento e equipamento militar sofisticado fabricados por Israel em posse de vários grupos terroristas na Síria.

Em agosto – revela a RT – um militar israelense disse que a Força Aérea do país tinha atacado a Síria aproximadamente 100 vezes.

Entretanto, o EAS e os seus aliados, como a brigada palestina Al Quds, continuam a conquistar vitórias contra a Al-Nusra em Ghouta Oriental e Harasta (província de Damasco) e na província de Idlib (no Noroeste do país).


Fonte: Abril Abril 

  • VOLTAR
  • IMPRIMIR
  • ENCAMINHAR

Últimas Mais