13 de dezembro de 2017 - 16h05

Movimentos sociais fazem jejum contra a Reforma da Previdência

   

Estiveram presentes diversas entidades dos movimentos sociais e populares, sindicatos, centrais sindicais e movimentos em defesa da Reforma Agrária. Na ocasião foram distribuídos exemplares do Jornal da Classe Trabalhadora.

O coordenador do Fórum, João Pires Jr., falou sobre a importância do ato e da resistência dos(as) trabalhadores(as) contra a Reforma da Previdência. “Esse é um ato de resistência e também de solidariedade à greve de fome às pessoas que estão fazendo, há 9 dias, uma greve de fome contra a aprovação da reforma da previdência. Goiás está presente nessa luta, que causa um grande prejuízo ao povo brasileiro. Essa semana toda foi de muita mobilização e, na sexta-feira, iremos realizar uma grande atividade em Goiânia”, afirmou João.

O presidente da CTB-GO, Railton Nascimento, também esteve presente no ato e ressaltou os danos que a Reforma da Previdência trazem para os(as) trabalhadores(as). “O governo golpista de Michel Temer mente diuturnamente para a população e se utiliza dos canais de comunicação para dizer que essa reforma irá acabar com os privilégios. Sabemos que isso não vai acontecer porque as carreiras típicas de estado não serão alteradas. Quem vai sofrer é a base da pirâmide social, mais de 80% da população. São assalariados(as) que terão que contribuir por mais de 40 anos. Muitos não terão condições de se aposentar”, concluiu.

Fonte: SINT-IFESgo



  • VOLTAR
  • IMPRIMIR
  • ENCAMINHAR

Últimas Mais