Cultura

12 de dezembro de 2017 - 10h51

Começa no Rio o Festival Internacional de Cinema Feminino 

Divulgação
   

O festival contará também com o seminário Feminismos, Cinema e Interseccionalidade: diálogos e estratégias de resistências, exatamente para debater este cenário.

Na 12ª edição do Festival Internacional de Cinema Feminino, o Femina, estarão em tela 64 produções de 18 países, dirigidos por mulheres, co-dirigidos ou com temáticas femininas. Muitos dos filmes inéditos no Rio, como o que abre o festival, o longa Jovem Mulher, da francesa Léonor Serraille, ganhador do Camera D’or, uma importante premiação do Festival de Cannes.

O evento começa no dia 13 e vai até o dia 18 de dezembro, no Centro Cultural do Banco do Brasil. A realizadora e curadora do Festival, Paula Alves, destaca a necessidade de fomentar a participação das mulheres no cinema.

A programação gratuita inclui curtas, longas, documentários, filmes experimentais e de animação para todas as idades. Paula acrescenta que a baixa participação das mulheres nas funções chave do cinema é um reflexo da desigualdade entre homens e mulheres presente na sociedade de uma forma geral. Ela exemplifica com os dados do cinema nacional. Entre 2001 e 2010, as mulheres produziram apenas 24% dos longa-metragens brasileiros, sendo essa a função com maior participação feminina. Nas direções, estiveram em apenas cerca de 15% dos filmes, assinaram o roteiro de 13% e protagonizaram cerca de 18%.

O evento contará também com o seminário Feminismos, Cinema e Interseccionalidade: diálogos e estratégias de resistências, exatamente para debater este cenário. A edição do festival homenageia três mulheres, a cineasta Sandra Werneck, a produtora Vania Catani, e atriz Laura Cardoso.



Fonte: Rádio Peão Brasil 

  • VOLTAR
  • IMPRIMIR
  • ENCAMINHAR

Últimas Mais