América Latina

7 de dezembro de 2017 - 18h46

Comunistas condenam pedido de prisão de Cristina Kirchner


Gabriel Cano/Senado da Argentina/AFP
Imagem de arquivo de Cristina Kirchner em sua posse como senadora no Congresso da Argentina Imagem de arquivo de Cristina Kirchner em sua posse como senadora no Congresso da Argentina
Cristina Kirchner nega as acusações e diz que o governo de Mauricio Macri usa o Poder Judiciário para perseguir opositores.

Na nota, os comunistas classificam de “esdrúxula” a posta do magistrado Claudio Bonadio. “Em pleno 2017, após 23 anos do ocorrido, Cristina está sendo acusada por supostamente acobertar criminosos iranianos envolvidos no atentado contra a Associação Mutual Israelita Argentina (Amia). Acreditamos que setores do Judiciário argentino usam o cargo para fazer perseguição política. Essa ação faz parte da contraofensiva conservadora na América Latina com o objetivo de perseguir lideranças progressistas da região e retornar com políticas neoliberais”, descreve o texto.

Confira a íntegra da nota

A Bancada do PCdoB no Congresso Nacional do Brasil vem manifestar repúdio à decisão do juiz federal Claudio Bonadio, que pediu a prisão preventiva da ex-presidente da Argentina e atual senadora, Cristina Kirchner. Como ela tem foro por prerrogativa de função, o caso ainda será analisado pelo Senado daquele país.

A postura do magistrado é esdrúxula. Em pleno 2017, após 23 anos do ocorrido, Cristina está sendo acusada por supostamente acobertar criminosos iranianos envolvidos no atentado contra a Associação Mutual Israelita Argentina (Amia).

Acreditamos que setores do Judiciário argentino usam o cargo para fazer perseguição política. Essa ação faz parte da contraofensiva conservadora na América Latina com o objetivo de perseguir lideranças progressistas da região e retornar com políticas neoliberais.

Reafirmamos nossa solidariedade e apoio à ex-presidente. Seguiremos firmes na luta para impedir a criminalização de forças políticas que deram valorosa contribuição ao melhorar a vida do povo em seus países.

Brasília, 7 de dezembro de 2017.

Alice Portugal
Líder do PCdoB na Câmara

Vanessa Grazziotin
Líder do PCdoB no Senado



Do Portal Vermelho

  • VOLTAR
  • IMPRIMIR
  • ENCAMINHAR

Últimas Mais