América Latina

5 de dezembro de 2017 - 17h09

Venezuelanos enfrentam semana intensa


AVN
   
Dentre os acontecimentos, se destaca o anúncio realizado pelo presidente Nicolás Maduro sobre a criação da criptomoeda, que estará sustentada pelas reservas de petróleo, de ouro, gás e diamantes.

A medida é parte da ofensiva governamental para combater a agressão econômica com um mecanismo que permitirá realizar transações financeiras, contrarrestar o bloqueio financeiro e ter acesso a novas formas de financiamento internacional para o desenvolvimento econômico e social do país, explicou o mandatário.

Reiterou que com a criptomoeda o país poderá "avançar para um sistema financeiro que seja sólido para sustentar nosso desenvolvimento".

Junto às eleições municipais, já se antecipam preparativos para as eleições presidenciais de 2018 e inclusive se propõe que estas podem ser adiantadas para o mês de abril, dado o enfraquecimento dentro dos setores opositores, onde várias figuras, entre elas Henry Ramos Allup e o ex-governador Henry Falcón, são potenciais candidatos ao assento presidencial.

Depois de tantas conjecturas, finalmente nos últimos dias foi formalizado o que estava previsto: Nicolás Maduro se candidata à reeleição como Presidente da República.

Também se antecipam novos anúncios da luta contra a corrupção. A partir da segunda-feira (4), todos os contratos de obras, bens e serviços das 262 empresas da Petróleos de Venezuela (PDVSA), bem como o desempenho dos 100 cargos gerenciais da estatal, passarão a uma exhaustiva fase de validação e revisão por parte do Executivo.

Este processo tem como objetivo erradicar desvios, assegurar os contratos e a preservação do patrimônio público, segundo indicou ontem o ministro de Petróleo, Manuel Quevedo.

Além disso, ocuparão a atenção dos venezuelanos os resultados alcançados pelas partes no diálogo entre governo e oposição em Santo Domingo, onde ao parecer foi possível conseguir avanços significativos que poderiam ser concretizados com a assinatura de um acordo no próximo dia 15 de dezembro, quando ambas delegações se encontrarem cara a cara.


Fonte: Prensa Latina 

  • VOLTAR
  • IMPRIMIR
  • ENCAMINHAR

Últimas Mais