América Latina

4 de dezembro de 2017 - 15h11

Evo Morales destaca participação em massa em eleições judiciais


Divulgação
   
Durante uma conferência de imprensa no Palácio de Governo, o mandatário realçou a validade de 30% dos votos para eleger as autoridades do Tribunal Supremo de Justiça, o Tribunal Constitucional Plurinacional, o Agroambiental e os membros do Conselho da Magistratura.

"O povo boliviano defendeu a democracia e em nome do governo nacional felicitamo-lo por sua assistência às eleições judiciais", apontou.

E ainda disse que Bolívia é um dos países mais democráticos do mundo em termos de participação em eventos como estes.

Por outro lado, criticou as declarações da oposição que pediu a contabilização dos votos nulos com os brancos.

"Agora a direita diz que devem-se juntar votos nulos com votos brancos. Querem que as autoridades judiciais eleitas fracassem. Querem que a Bolívia fracasse ", disse Morales.

Ao referir-se à quantidade de votos em uma das opções, Evo assinalou que só para o Tribunal agroambiental foram emitidos 600 mil votos.

Dados oferecidos ontem pelo Tribunal Supremo Eleitoral (TSE) ao contabilizar 80% dos votos, referem que de 6,4 milhões de pessoas convocadas às urnas, a assistência foi de 78%.

"Agora fica o trabalho pela melhoria da justiça. Esperamos que estas autoridades eleitas ontem tenham uma enorme responsabilidade com o desenvolvimento da justiça", pontuou o presidente.

Evo abordou outros temas na conferência de imprensa, entre eles a constitucionalidade do recurso apresentado pelo Movimento ao Socialismo (MAS) e aprovado pelo Tribunal Constitucional Plurinacional (TCP), que permite a candidatura de autoridades nacionais nas eleições eleitorais de 2019. 'A sentença emitida na terça-feira passada pelo TCP é legal e constitucional no marco jurídico internacional', assinalou.

O tribunal referido declarou procedente o recurso abstrato de inconstitucionalidade apresentado pelo MAS para uma nova candidatura tendo em vista as eleições gerais de finais de 2019; e as eleições de meados de 2020, do presidente, vice-presidente, 154 legisladores, nove governadores, 339 prefeitos e 3.500 vereadores e conselheiros.

Por outro lado, o chefe de Estado da nação andino-amazônica confirmou hoje sua viagem esta tarde (hora local) para Brasil para reunir-se amanhã com seu homólogo, Michel Temer.

Especificou, ademais, que nesta jornada sustentará alguns encontros com outras autoridades como cônsules e embaixadores que residem no gigante sul-americano.

O chanceler boliviano, Fernando Huanacuni, informou recentemente que Evo e Temer abordarão temas como a união de Brasil ao projeto do trem bioceânico que se prevê, uma ao porto brasileiro de Santos com o peruano de Ilo, passando pela Bolívia, com uma extensão de 3.755 quilômetros.

Antes do encontro com Temer, Evo também se reunirá com os governadores dos estados brasileiros de Rondônia, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, para conseguir acordos sobre a execução da referida linha férrea, explicou o chanceler.
 


Fonte: Prensa Latina 

  • VOLTAR
  • IMPRIMIR
  • ENCAMINHAR

Últimas Mais