Geral

29 de novembro de 2017 - 13h08

Secundaristas lutam por educação democrática em Congresso da Ubes

   

Prestes a completar 70 anos, a União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (Ubes) realiza nesta quarta-feira (29) o primeiro dia do 42º Conubes, que acontecerá até sábado (2) em Goiânia. A maioria das atrações está concentrada na Praça Universitária, ponto turístico que recebeu estrutura para que milhares de estudantes brasileiros se reúnam em debates, shows e outras atividades culturais.

O Congresso reunirá grandes nomes como Karol Conká, Manuela D’Ávila (PCdoB), Lúcio Gregori (engenheiro e criador do projeto Tarifa Zero), Tamara Naiz (presidenta da Associação Nacional dos Pós-Graduandos-ANPG), Orlando Silva (deputado federal PCdoB-SP) e Ângela Guimarães (presidenta da União dos Negros Pela Igualdade-Unegro).

A abertura do evento acontecerá com o pré-lançamento do documentário Primavera – Secundaristas e suas ocupações, da diretora Ana Petta, às 19h. Na quinta (30) serão realizadas as mesas “Defender a educação pública é defender a soberania nacional”, “Redução não é a solução! O extermínio e o encarceramento da juventude negra” e o debate sobre o “Passe livre e o transporte enquanto direito”.

Na sexta (1º), o evento contará com a presença da deputada estadual e pré-candidata à Presidência pelo PCdoB nas eleições de 2018, Manuela D’Ávila. A parlamentar começou sua luta no movimento estudantil, atuando na vice-presidência sul da União Nacional dos Estudantes (UNE), de 2001 a 2003.

Ainda durante o evento, a juventude se organiza para de forma colaborativa cobrir o evento e distribuir o conteúdo produzido.

Para a diretora de comunicação da entidade, Fabíola Loguercio, a comunicação colaborativa vem no sentido de falar com muita gente.

“Conseguirmos linkar a cultura com a comunicação e a podermos contar a nossa própria narrativa do que acontece. Contar a nossa própria história. Porque diferente da UNE que tem em seus arquivos a história da entidade como surgiu, como foram os congressos, no período da ilegalidade como funcionava, na Ubes não temos isso. Temos poucos arquivos que falam de fato sobre a história da Ubes. Ai quando falamos de ativar a comunicação colaborativa, da gente fortalecer esse núcleo na Ubes é a gente poder principalmente contar nossa história a partir do nosso ponto de vista e poder registrar isso. Isso é extremamente importante. Estamos entrando nos novos rumos da comunicação e para falar com cada vez mais pessoas e de uma forma diferente do que a gente está acostumado”, disse Fabíola Loguercio à UJS.

O Congresso termina no sábado (2), após eleger nova direção para os próximos 4 anos da entidade dos secundaristas brasileiros.

Confira abaixo a programação completa nesse link ou acesse a página do evento no Facebook clicando aqui.



Do Portal Vermelho

  • VOLTAR
  • IMPRIMIR
  • ENCAMINHAR

Últimas Mais