Geral

5 de novembro de 2017 - 19h35

Fátima Oliveira: Médica, ativista feminista e revolucionária

Reprodução
   

Fátima também era conselheira da Rede de Saúde das Mulheres Latino-americanas e do Caribe.

"Urge banir o fascismo da sociedade brasileira", defendeu Fátima em um de seus artigos em que tratou das declarações de deputado Jair Bolsonaro (PSC-RJ) durante uma palestra na sede paulista da Hebraica.

Fátima atuou também na luta pela atenção à saúde dando profunda formulação teórica e prática, principalmente em prol do fortalecimento do SUS e de política de tratamento para a doença falciforme e contra o racismo institucional na saúde.

Fátima deixa legado de lutas. “É melhor morrer em pé do que viver de joelhos’”, escreveu ela em uma de suas colunas.


 Do Portal Vermelho

  • VOLTAR
  • IMPRIMIR
  • ENCAMINHAR

Últimas Mais