Brasil

20 de outubro de 2017 - 13h42

Presidenta do PCdoB defende visão ampla em visita ao Macapá


Foto: PCdoB Amapá
Luciana Santos, presidente nacional do PCdoB. Foto: Nathanael Zahlouth Luciana Santos, presidente nacional do PCdoB. Foto: Nathanael Zahlouth
No evento, Luciana Santos ressaltou a conjuntura política e apontou perspectivas do partido, como a possibilidade de candidatura própria para presidente da República e o fortalecimento partidário diante da onda conservadora que cresce no país.

“Ódio, intolerância e retrocesso a gente responde com partido forte, com partido unido e consequente, mas também com visão ampla. Somos um partido que nega o sectarismo. Somos o partido da amplitude. A gente observa não a árvore, a gente observa a floresta”, disse durante a plenária.

Além de dirigentes partidários, compuseram a mesa do encontro também a presidente do Sinsepeap, Kátia Cilene, e a representante da UnaLGBT, Adriana Lopes.

Visita ao governador do Amapá

Acompanhada da deputada federal Marcivânia Flexa, do presidente do diretório estadual do PCdoB, Luiz Pingarilho, do dirigente nacional Edson França e do superintendente de Vigilância em Saúde do Estado, Dorinaldo Malafaia, a presidente nacional do PCdoB, Luciana Santos, visitou o governador do Amapá, Waldez Góes na tarde de quinta-feira (19), no Palácio do Setentrião.

Luciana Santos visitou o governador acompanhada de líderes partidários.

 
O objetivo do encontro foi reafirmar a aliança do partido com o governador. De acordo com o presidente estadual do PCdoB, Luiz Pingarilho, a relação com o governo do Estado e o PDT foi selada com a ida do partido ao governo depois do entendimento político feito através de várias reuniões e debates.

“Colocamos sempre a questão do PCdoB contribuir com o governo do Estado com a sua visão de gestão e visão estratégica de desenvolvimento. Não se trata apenas de uma ida para ocupar espaço, mas se trata acima de tudo de ajudarmos a desenvolver o Estado. Nós temos uma deputada federal que tem contribuído com o governo, os quadros políticos do PCdoB, suas lideranças que nesse momento se juntam nesse objetivo de contribuir com a gestão do governador Waldez e naturalmente que isso acaba também refletindo no processo eleitoral do ano que vem”, disse Pingarilho.

O presidente do diretório estadual já avalia que a tática eleitoral dos comunistas para as eleições de 2018 deve ser com o PDT, que está dentro do arco de alianças com quem o PCdoB atua nacionalmente.

“O PCdoB está caminhando na gestão e caminhando politicamente junto com o PDT, essa deve ser a nossa opção tática de compor nesse campo politicamente, pois avaliamos que para o partido esse é o caminho mais viável. O PDT está no arco de partidos que nós temos atuação conjunta a nível nacional, em particular no congresso, onde temos feito caminhadas juntos. Então não há dificuldade nenhuma nesse aspecto. E a tendência é marcharmos juntos em 2018”, finalizou.


Com informações do PCdoB Amapá e imprensa local.

  • VOLTAR
  • IMPRIMIR
  • ENCAMINHAR

Últimas Mais