Amrica Latina

15 de outubro de 2017 - 15h58

Encontro denuncia riscos para jornalistas mexicanos

Efe
O Mxico  considerado um dos paes mais perigosos do mundo para ser jornalista O Mxico considerado um dos paes mais perigosos do mundo para ser jornalista

O jornalismo mexicano enfrenta hoje graves riscos, em grande medida decorrentes da sua exposio ao do crime organizado e da incapacidade das autoridades para defender os profissionais da imprensa.

Esta foi uma das principais concluses dos participantes no encontro de jornalistas #NoEstnSolos, organizado esta sexta-feira (13) no contexto da 17 Feira Internacional do Livro do Zcalo, que, tendo aberto as portas no dia 12, acontece na capital do pas at dia 22.

Em uma das mesas, intitulada "Encarando o futuro" e moderada pela reprter do La Jornada, Blanche Petrich, participou Griselda Triana, viva de Javier Valdez, correspondente do La Jornada e fundador do semanrio Rodoce, no estado de Sinaloa, onde foi assassinado no dia 15 de maio.

Triana falou sobre o que classificou como "solido e fragilidade", as condies em que tm de trabalhar os reprteres fora da Cidade do Mxico. Para a viva de Valdez, que foi autor de vrias reportagens e obras centradas no narcotrfico, no crime organizado e nas suas ligaes ao poder poltico e econmico, "o panorama desolador".

Na mesma mesa participou a jornalista Karla Janeth, do El Heraldo de Len, que foi agredida e ameaada de morte por ordem do presidente da Cmara de Silao, no estado de Guanajuato, segundo denunciou na ocasio.

Outra das concluses do encontro foi a de que os profissionais da imprensa tambm so vtimas de presses e agresses por parte das autoridades, nos diferentes nveis de governo, que cmplice do crime organizado e de outros interesses.


Fonte: AbrilAbril

  • VOLTAR
  • IMPRIMIR
  • ENCAMINHAR

ltimas Mais