Brasil

27 de setembro de 2017 - 16h27

Temer é notificado e tem 10 sessões da Câmara para apresentar defesa


Gilmar Félix/Câmara dos Deputados
Giacobo leva denúncia ao Palácio do Planalto Giacobo leva denúncia ao Palácio do Planalto
Agora, Temer terá o prazo de dez sessões do Plenário da Câmara para apresentar sua defesa à Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJC) da Casa.

Ao deixar o Planalto, Giacobo, que na primeira denúncia votou pela rejeição da acusação de corrupção passiva, disse estar “triste com o momento pelo qual passa o país”. “Estou aqui cumprindo meu papel institucional, mas, como cidadão brasileiro, estou triste pelo momento em que o Brasil passa, com todo esse mar de corrupção”, disse.

Na CCJ, o presidente do colegiado, Rodrigo Pacheco (PMDB-MG), deve indicar o relator da denúncia. A expectativa de deputados da Oposição é que seja um nome independente. Esta semana, o deputado Alessandro Molon (Rede-RJ) manifestou interesse em relatar o caso. “Já coloquei meu nome à disposição do presidente, pois acredito que reúno as condições necessárias para encaminhar a matéria”, disse.

Na opinião do deputado Rubens Pereira Jr (PCdoB-MA), a tramitação na CCJ deve ser idêntica à primeira denúncia, com resultados artificializados. “Os líderes da base do governo já começaram a substituir os membros que votaram contra Temer na primeira denúncia. Isso faz com que o resultado não seja real. Será necessário, assim, aguardar o posicionamento soberano no Plenário da Casa.”

Independentemente do resultado da CCJ, o que vale é a votação do Plenário. Lá, para autorizar a investigação pelo Supremo Tribunal Federal, serão necessários, no mínimo, 342 votos dos 513 deputados.

De acordo com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), a votação deve acontecer ainda em outubro.




 PCdoB na Câmara, com agências

  • VOLTAR
  • IMPRIMIR
  • ENCAMINHAR

Últimas Mais