Brasil

6 de setembro de 2017 - 13h21

Debates do 14º Congresso mobilizam o PCdoB paulista em todo o estado


Os comunistas de São Paulo iniciaram uma intensa agenda de mobilizações pelo estado afora para o seu 14º Congresso partidário. Tendo como mote um trecho do grande poeta amazonense Thiago de Mello, “faz escuro, mas eu canto”, o partido completa mais de 95 anos de existência em 2017, ano que marca o centenário da revolução russa. Imbuído desse espírito, foram inúmeras reuniões realizadas desde julho, com foco na mobilização e discussão da nossa tese pelo conjunto da militância através das assembleias de base, conferências distritais e municipais.

Até agora foram mais de 13 reuniões regionais (macrorregião) realizadas com os nossos dirigentes locais, estimulando o desafio de construirmos as conferências municipais como verdadeiras atividades públicas 
em defesa do desenvolvimento nacional, dos direitos sociais e da soberania popular. O desafio do PCdoB é derrotar a agenda de retirada de direitos sociais e as privatizações que o presidente ilegítimo Michel Temer vem impondo sem a aprovação do povo e das urnas, e além disso, destacar o PCdoB nas cidades como uma alternativa popular para a solução dos problemas que o Brasil vive. Também foram realizados mais de 21 lançamentos públicos da nossa tese nas grandes metrópoles, discutindo com a sociedade organizada saídas políticas para essa grave crise econômica, política e social. O maior lançamento realizado foi na capital paulista com o vice-presidente nacional do PCdoB, Walter Sorrentino, onde reuniu mais de 150 pessoas, lotando o auditório do Sindicato dos Engenheiros.

No mês de setembro devem realizadas todas as conferências municipais
O mês de setembro é o período de realização das conferências nas cidades. Na capital e em algumas grandes cidades ocorrerão conferências distritais. O presidente estadual do partido, deputado federal Orlando Silva, considera que “há uma série de fatores que tornam a realidade mais complexa e mais exigente para o PCdoB. A política está em xeque, os partidos estão em xeque, as organizações mais tradicionais estão sendo questionadas e nós temos a tarefa de renovar a construção do PCdoB”, afirma.

O processo congressual valoriza o debate e a participação coletiva, aproveitando a experiência e atuação da nossa militância na construção da nossa tese, que virará depois, no próprio congresso nacional, em um documento de resolução nacional que orientará a nossa ação militante pelos próximos 4 anos. O Comitê Estadual considera que a mobilização das macrorregiões tem sido um instrumento importante para colocar o partido em movimento.

Essas reuniões aconteceram em diversas cidades importantes do estado como: Santo André (ABC paulista), Jundiaí, São José dos Campos (Vale do Paraíba), Santos (Baixada), Sorocaba, Campinas e Americana, Marília, Bauru, Osasco (Saída Oeste), Mogi das Cruzes (Alto Tietê) e Capital. Dessas reuniões realizadas em agosto, já foram marcadas, como fruto dessas discussões mais de 108 conferências municipais.

André Bezerra, secretário estadual de organização diz que “Já fizemos reuniões, apresentações das teses e agendamos conferências locais. Mas ainda há muito a ser feito para, ao fim e ao cabo, para realizarmos uma grande Conferência que antecede o Congresso nacional do partido”. Muito ainda há de ser feito.

Sintonizado com o projeto estadual de estruturação partidária, aprovado em nosso último encontro realizado em junho, o Comitê Estadual realizou quatro (4) grandes encontros estaduais de natureza consultiva. Foram realizados: O Encontro Estadual de Sindicalistas e Trabalhadores em julho; o encontro estadual de Combate ao Racismo e o Encontro Estadual de atuação Institucional e Parlamentar no mês de agosto, bem como o Encontro Estadual de luta das mulheres no mês de setembro. No dia 16 de setembro acontecerá o último grande encontro temático: “Partido e Juventude”.

Orlando Silva ressalta que a 18º Conferência Estadual do PCdoB deve, “no mínimo, se aproximar da mobilização anterior do 13º Congresso. É um desafio muito complexo para uma esquerda que recuou muito no último período em São Paulo”.
 
 18º Conferência Estadual do PCdoB
A Conferência Estadual será nos dias 21 e 22 de outubro, no Palácio do Trabalhador, na capital paulista. É tarefa de todo delegado e delegada da Conferência estar em dia com suas contribuições partidárias. Estes recursos darão sustentação material para as atividades e garantirá uma conferência acolhedora e aguerrida para os seus participantes. Essa Conferência também é o espaço mais importante de discussão do partido, onde a nossa democracia é exercida de maneira franca, respeitosa e plural. Ser eleito a partir das Organizações de Base e pelo seu munícipio é fundamental, cada militante eleito representará a sua cidade e a sua organização de base, e deverá trazer de volta aos seus municípios o rico debate ali realizado.

Outro fator fundamental e de responsabilidade coletiva da nossa militância é a realização do recadastramento digital, semelhante ao que era feito no papel, mas que agora é online. Essas informações são fundamentais para melhorar o convívio entre militante/filiado (a) e o próprio partido. Esse instrumento permitirá de maneira ágil a vivência partidária do PCdoB e seus militantes no dia-a-dia. Além disso, qualquer pessoa pode se filiar ao PCdoB usando a internet, o que permite à militância trazer mais gente para o partido a partir do celular.

 
A militância deve se recadastrar

Os acessos ao cadastro/recadastro podem ser feitos acessando a página: www.pcdob.org.br ou baixando o aplicado PCdoB Digital disponível em lojas virtuais (android, apple). Para auxiliar os recadastramentos também está disponível as fichas impressas de recadastramento que podem ser solicitadas no Comitê Estadual através do Fábio ou da Isabel. Essas fichas deverão ser digitadas no PCdoB digital quando recolhidas. Não valerão para fins de contagem de eleição de delegados em quaisquer etapas se não forem digitalizadas.

O documento com as teses está disponível em: http://bit.ly/2uRMS70. A análise tem quatro eixos: Conflitos e tensões no mundo, ofensiva imperialista e luta dos povos; Balanço dos governos Lula e Dilma e avaliação do desemprenho do PCdoB; Governo ilegítimo contra o Brasil e o povo; Fortalecer o PCdoB e elevar seu papel na resistência.
 
Exposição itinerante
“Ontem e Hoje o PCdoB é Indispensável à Democracia e ao Brasil”

A exposição itinerante foi idealizada em parceria com a Fundação Maurício Grabois de São Paulo, a partir dos lançamentos públicos da tese e das conferências municipais. Ela começou em Campinas, depois seguiu para Guarulhos, e irá, em seguida para Suzano, etc. A mostra traz 36 banners contendo textos e fotos que narram a história desta organização política que completou 95 anos de atuação ininterrupta em nosso país. O conjunto dos banners apresenta personagens e episódios que atestam a presença dos comunistas na história brasileira. Mesmo sob a mais férrea perseguição, eles continuaram atuando e defendendo suas bandeiras.


Vermelho/SP

  • VOLTAR
  • IMPRIMIR
  • ENCAMINHAR

Últimas Mais