Mundo

28 de agosto de 2017 - 15h38

“Será que a injustiça que testemunhamos no mundo não exige um grito?”


   
A palestra do Sheik, que contou com a presença da presidenta do Conselho Mundial da Paz, Socorro Gomes, é um incisivo e poderoso libelo anti-imperialista, que desnuda a arrogância e a crueldade do imperialismo. O Resistência, respeitando as convicções do Sheik Mohsen Araki, e preservando as suas, divulga este discurso que é uma prova da amplitude que a bandeira da paz pode e deve assumir no combate ao imperialismo. 

Palavra do Aiatolá Sheik Mohsen Araki, no encontro “Os muçulmanos e o enfrentamento ao terrorismo e ao radicalismo”. Em nome de Deus, o Clemente, o Misericordioso.


Deus, o Altíssimo, disse no seu livro sagrado: “Deus ordena a justiça, a caridade, o auxílio aos parentes, e veda a obscenidade, o ilícito e a iniquidade. Ele vos exorta a que mediteis” (Capítulo 16 – Versículo 90).

Este versículo representa a mensagem do Islã e a doutrina do Profeta Mohammad (S.A.A.S.*). O Islã que foi revelado para unir toda a humanidade, pois os pontos que podem unir toda a humanidade são a “Justiça e a Caridade”, valores que todas as religiões comungam, e além disso, todos as crenças teológicas humanas tem como sua fonte a essência humana pura e honesta.

Esta é a mensagem do Islã, a mensagem da unicidade e a mensagem da união. E não cabe apenas aos muçulmanos, nos referimos aos muçulmanos pois eles são os mais atacados em sua religião, a busca por união, cooperação e riqueza cultural, pois na verdade esta mensagem é um chamado para a união de toda a humanidade. E para que a união seja concretizada devemos focar num objetivo elevado e único que é “o estabelecimento da justiça na terra, e o enfrentamento da injustiça que está tomando conta de toda a humanidade”.

Nos vemos enfrentando um grande perigo mundial que coloca em risco a paz sobre a terra, e coloca em risco todas as sociedades humanas, que é o perigo da dominação do imperialismo injusto, que não demonstra piedade alguma por onde passa, e nem pelos povos que ele ataca, desrespeitando seus valores, tradições e culturas, retirando o valor de todos os seres humanos. Este fenômeno que estamos vendo hoje é um fenômeno novo sobre as sociedades humanas, e a história humana jamais tinha vivido algo do tipo anteriormente. Uma força externa que se arma com as mais devastadoras armas de destruição em massa deixando um incontável número de vítimas, que perderam todo o valor humano.

Esta grande força mundial é dominada por um pequeno grupo de abastados, que ambicionam concentrar as riquezas do mundo todo, e não desejam que nenhuma economia no mundo permaneça de pé, exceto as que se encontrem sob seu domínio. Eles também não desejam que haja qualquer outra opção política, a não ser as que aceitam e se curvam às suas orientações. E igualmente não desejam que haja culturas fortes e dignas, a não ser as que se submetem às suas referências e tradições. Este grande perigo que coloca o mundo em risco deve ser notado por todas as comunidades muçulmanas de todas as partes do mundo, ele não é um perigo que coloca em risco apenas os muçulmanos do Oriente Médio. Claro que uma região rica em recursos naturais e estrategicamente importante é um alvo para os defensores das políticas injustas e se torna o alvo principal das grandes potências, no entanto, o perigo ultrapassa as fronteiras do Oriente Médio e logo dominará a Terra por completo.

Os principias rastros deste grande perigo estão sendo observados no Iêmen, Iraque, Síria, Palestina, Líbia e em vários outros países.

Pergunto a vocês e à consciência da humanidade: Que culpa tem as crianças do Iêmen, que morrem diariamente pela cólera? Onde está a consciência da humanidade? Onde estão as organizações que defendem os direitos humanos? Todos os dias centenas de crianças morrem no Iêmen e não ouvimos nenhuma voz destas organizações. Que culpa tem o povo do Iêmen perante o cerco imposto sobre ele por terra, ar e mar, que coloca em risco suas vidas e segurança? Como se não bastasse este cerco, o povo é bombardeado e atacado diariamente com bombas de alto poder destrutivo, e não há piedade pelos idosos ou crianças!

Há alguns anos atrás todos nós assistimos à execução de Mohammad Al-Durrah. Vimos como ele foi morto e quem está matando os palestinos diariamente, sem se importar se são jovens, idosos, crianças ou mulheres. Onde esta a pátria dos palestinos? Os palestinos não são humanos e não possuem direitos? Onde estão os direitos dos palestinos? As crianças palestinas não são humanas e não possuem o direito de viver? Onde estão aqueles que defendem o direito à vida?

Perguntamos sobre a Síria: Que culpa tem o povo sírio para que sua terra se enchesse de suicidas que desconhecem todo e qualquer valor e princípios? De onde vieram estes grupos terroristas selvagens que não apenas matam as pessoas, mas também rasgam seus peitos e comem o fígado de gente inocente? Em verdade, este que está combatendo na Síria está combatendo o povo sírio, e combate o Estado sírio que tenta proteger o seu povo e restabelecer a ordem no país. Nós não concordamos com o Estado sírio em muitos pontos, mas o povo sírio precisa de um estado que o governe e o proteja, e que estabeleça a ordem e a lei. Antes destes acontecimentos o povo sírio vivia em paz, e o país era um abrigo e refúgio para todos aqueles que buscavam a paz e queriam passar momentos de paz. Os próprios governantes do Golfo, que hoje sustentam o terror e o terrorismo na Síria, passavam seus dias de férias em paz na Síria, que era o país mais seguro da região. Quem acabou com a segurança deste povo e destruiu a paz? Que iniciou todo o sofrimento que o povo sírio passa hoje? Por que este ataque à Síria?

Por que o cerco sobre o povo de Gaza? Que culpa tem aqueles que vivem em Gaza? Gaza é a terra de quem? É a terra dos palestinos! Pessoas que querem viver em suas terras! Por que elas vivem cercadas e vigiadas? Por que negar suas necessidades? Por que os governantes dos Estados Unidos reconhecem oficialmente em suas mídias oficiais que foram eles quem fundaram o DAESH e em seguida os próprios governantes acusam os outros de apoiar o terrorismo, os DAESH, a matança e a destruição?

Os Estados Unidos são uma grande potência. Será que não poderiam trabalhar pela paz e tranquilidade no mundo ao invés de ser um incitador de guerras e destruição? O que mais os Estados Unidos precisam além de tudo o que tem? Um país grande, rico e poderoso. Por que os Estados Unidos não ficam em seu lugar? Porque seus navios de guerra não permanecem em seus territórios? O que estes navios fazem no Golfo? O que fazem no oriente, entre as Coreias e próximo do Japão e da China? Eles ameaçam o oriente e o ocidente. Ameaçam todas as regiões do mundo! O que é isto que estamos vendo hoje no nosso mundo? Será que isso não necessita de uma solução? Será que os sábios, pensadores e os indivíduos conscientes do mundo não precisam pensar neste grande perigo que aflige nosso mundo? Um perigo que não está limitado à região do Oriente Médio.

No patamar politico, os direitos das sociedades politicamente independentes foram usurpados. Todo governo que busca por independência foi cercado e confrontado. Ao mesmo tempo, os países que se entregaram aos Estados Unidos e ao imperialismo que os domina, estão vivendo sob as bênçãos deste sistema de pilhagem. Será que todos nós não escutamos nos noticiários como os Estados Unidos sacou de uma única vez 460 bilhões de dólares da Arábia Saudita?

Este valor poderia reconstruir a região do Oriente Médio inteira. Com que direito os Estados Unidos tomam este dinheiro? Este dinheiro é nosso. Não é dinheiro da Arábia Saudita. Este dinheiro é dinheiro dos povos da região. Não queremos armas dos Estados Unidos para nos destruir. Tomam nosso dinheiro e nos entregam armas, e em seguida provocam um contra o outro e provocam as guerras para que possam vender mais armas para a região. Será que há um ladrão pior que este? Toma seu dinheiro e em seguida te mata, mata seu irmão e em seguida toda sua família.

Será que esta injustiça que testemunhamos no mundo não exige um grito? Os jornalistas, pensadores e acadêmicos devem pensar e meditar no futuro da humanidade, que está vivendo sob a ameaça de um grande perigo. Está sendo imposta sobre a humanidade uma politica única, e nenhum país tem direito de seguir sua própria política. Está sendo imposto sobre a humanidade um sistema econômico único chamado de “globalização”, mas que é uma ferramenta para confrontar os povos e suas riquezas e ganhos. A República Islâmica do Irã não tem o direito de transferir um único dólar de fora para dentro do país, mesmo se vender seu próprio petróleo. Por quê? E por que existe um controle absoluto no sistema bancário mundial? Os bancos mundiais trabalham de acordo com a politica dos Estados Unidos e nenhum banco tem o direito de sair da linha. Será que há um perigo maior do que este no mundo?

A história dos Estados Unidos, desde a data de sua fundação, é repleta de guerras e ataques sobre outros povos. No decorrer da história quem realmente atacou os Estados Unidos? Os Estados Unidos não sofreram nenhum ataque ou agressão por parte de um país externo. A história nos revela isso, mas os Estados Unidos sempre atacaram os demais e participaram de todas as grandes guerras. Eles têm participação direta em toda a matança e sangue derramado, e tem ligação direta com todas as guerras que acontecem na nossa região e no mundo todo.

Pensem em um mundo sem a interferência norte-americana e verão como teremos um ambiente de paz. O problema entre a Coreia do Norte e a Coreia do Sul poderia ser solucionado se os Estados Unidos não se intrometessem. O mesmo vale para o problema entre o Japão e a China, ou todos os problemas entre países do ocidente e oriente, sul e norte, todos poderiam ser solucionados se não existisse a influência torpe dos Estados Unidos. Os problemas de alguns países da América do Sul poderiam ser resolvidos se não fosse a interferência constante dos Estados Unidos. Será que não temos que dar um basta nisso?

Há ferramentas utilizadas pelos Estados Unidos e pelo imperialismo para dominar injustamente a Terra, entre elas:

Primeiro, a provocação de intrigas entre os povos. O Iraque sempre foi um povo único desde quando o conhecemos. Todos conhecem o Iraque. Era um povo unido não importando se eram árabes, curdos, sunitas e xiitas. Um irmão iraquiano me disse: “Nós iraquianos vivíamos entre xiitas e sunitas, sem saber quem era xiita ou sunita”. Dizia ele que não ouvíamos os termos sunita e xiita até que os Estados Unidos vieram. Então soubemos que o fulano era sunita e ciclano xiita, e que este quer matar aquele e que aquele quer matar o próximo. Os Estados Unidos provocaram a intriga entre sunitas e xiitas no Iraque. O povo iraquiano era totalmente unido não importando etnia ou o que quer que fosse.

A Síria, durante toda a história, foi uma terra unida. Quando nasceu a guerra entre os filhos desta terra e entre um irmão e o outro? Quando os Estados Unidos vieram, e infiltraram seus agentes e governantes o país, a Síria, foi dividida e o povo sírio foi transformado em um monstro. O povo sírio sempre foi pacífico e o país seguro, mas de repente este povo é atacado e todas as regras básicas de sua vida foram transformadas.

E o mesmo acontece com o povo libanês. Que culpa tem o Hezbollah para ser acusado de terrorismo? O que o Hezbollah cometeu? Será que é um pecado um grupo combater para libertar suas terras? Será que o Hezbollah ocupou terras de Israel? Ou foi Israel que atacou e ocupou as terras libanesas? Quem ocupou quem? Quem atacou quem? Quem matou mulheres libanesas? Quem foi o autor do Massacre na cidade de Qana? Foi o Hezbollah ou Israel? É um pecado um grupo se formar e dizer “o nosso senhor é Deus” e afirmar isto dizendo que “queremos viver com liberdade em nossas terras”? E em seguida este partido é chamado de terrorista?! Ou será que na verdade devemos considerar como terroristas aqueles que matam, saqueiam e lançam bombas sobre o povo do Iêmen e tantos outros?! Por que aqueles que mataram Mohammad Al-Durrah ou outros dezenas e milhares de crianças e jovens não são considerados terroristas? Mas o Hamas é considerado terrorista, por quê? Porque quer se defender e defender sua terra. Perguntamos ao mundo e pedimos a atenção dos pensadores de todo o mundo: Ó mundo, onde está a terra palestina? Onde está aquela terra onde o povo palestino deve viver? Será que o povo palestino tem o direito de defender sua terra, a terra dos seus ancestrais?

A Mesquita de Al-Aqsa está nas mãos de quem hoje? Quem proibiu os fiéis de praticarem suas orações na Mesquita de Al-Aqsa? A Mesquita de Al-Aqsa é um templo sagrado e os templos devem ser respeitados. Onde estão os direitos humanos? Onde está a imprensa mundial para chamar a atenção para o respeito às religiões e às crenças? Por que não falam sobre o respeito às mesquitas e templos sagrados, e que não devem acontecer ataques à sua santidade? Por que o respeito à Mesquita de Al-Aqsa está sendo violado e os donos desta mesquita estão sendo impedidos de praticarem suas orações? Onde estão as pessoas conscientes e livres? Onde estão as mentes que buscam o bem do ser humano? Que culpa têm os palestinos de desejarem orar em suas mesquitas? Eles não estão sendo apenas proibidos, eles estão sendo agredidos e executados. Nos últimos dez dias centenas foram mortos e feridos por esta razão. Por nada, apenas porque queriam orar em sua mesquita. Onde estão as organizações que gritam por direitos humanos quando um israelense é ferido, mas quando um palestino está se defendendo todas estas organizações gritam “cuidado com ele, ele é um agressor”?

Direciono-me a todas as mentes racionais, não quero impor nenhuma crença ou ideia sobre ninguém, mas levo uma palavra de força e esperança, o grito dos oprimidos e injustiçados, daqueles que foram privados de seus direitos mais básicos.

O povo do Bahrein** não tem nenhuma culpa exceto almejar participar ativamente no destino de sua pátria. O que o povo do Bahrein diz aos governantes? Ele diz: Permitam que participemos na elaboração da constituição da nossa pátria. O povo do Bahrein não quer nada além de uma participação ativa na elaboração da constituição. Estas pessoas não dizem que querem mudar o governo ou o sistema de governo, e sim apenas participar na formação das leis para que o governo melhor as atenda. Ainda assim elas são atacadas, presas e assassinadas. Onde estão as pessoas livres do Bahrein? Todas estão nas prisões. Centenas de líderes sociais e intelectuais do Bahrein estão nas prisões. Apenas por dizer que querem uma constituição e participação nas eleições, afirmando que cada cidadão tem o direito de eleger seus governantes. E então vem a resposta destes pedidos, com perseguições, fogo, prisões e torturas. Quantos cidadãos do Bahrein já morreram nas prisões do país? Eu tinha um amigo no Bahrein que era vendedor de livros, e visitei-o numa viagem que fiz ao país. No entanto, há uns tempos atrás ele foi preso. Ele era vendedor de livros, não um ativista político. A sua única culpa é que o governo imaginou que ele fosse simpatizante dos que clamam por mudanças. Prenderam e torturaram meu amigo, e ele não durou três dias, até que seu corpo foi entregue à sua família. E há dezenas de outros casos iguais a este no Bahrein, de pessoas que não encontram vozes que gritem por seus direitos.

Quero clamar pela consciência das pessoas, quero clamar pela razão da humanidade, dos governantes, dos povos e dos donos de uma consciência livre. Este mal que está em nossa região passará para todos os países do mundo se não dermos as mãos e nos unirmos para alcançar uma cura. Não convidamos ninguém às guerras e confrontos, e sim à palavra da verdade, à uma posição solidária e única. Vejo que se os governantes e os sábios da humanidade unirem-se em prol da palavra da verdade e da justiça certamente poderão estabelecer a justiça e certamente vencerão estes grupos desviados, radicais e terroristas, seja em qual forma encontrarem-se, ou seja, como um governo terrorista ou um grupo terrorista e extremista.

Daqui, deste país que é exemplo de convivência pacífica e harmoniosa entre os seguidores de todas as religiões, que é a terra onde está acontecendo este abençoado encontro, terra que abraça a paz e a justiça, parabenizamos o Brasil pela grande conquista que alcançou ao ser tornar um palco para os que clamam por justiça e paz no mundo. E que partam daqui com sua mensagem de paz e de segurança. Parabéns ao povo brasileiro, e toda a gratidão e reconhecimento ao governo e instituições brasileiras por esta grande conquista, que deverá continuar e jamais ser interrompida por nada.

Convido à uma posição de união, uma palavra da união, de todos aqueles que veem as injustiças contra seus irmãos, não apenas em nossa região, mas em todo lugar. O terrorismo que atacou a França, a Inglaterra e a Bélgica pode atingir todos os lugares. Este terrorismo é filho desta injustiça que governa o mundo. Não quero tomar mais tempo de vocês, resumo minhas palavras: convido todos à união das palavras, das posições, conclamo os donos das consciências livres, convido os que defendem os direitos humanos e todos que amam a justiça, a paz e o bem da humanidade.

E que a paz e as bênçãos de Deus estejam com todos vocês.


Leia também:
 

Fonte:  Resistência





  • VOLTAR
  • IMPRIMIR
  • ENCAMINHAR

Últimas Mais