Brasil

22 de agosto de 2017 - 11h59

Aracaju é referência nacional em rede de atendimento em saúde mental


Foto: Sergio Silva
Edvaldo recebeu parte da equipe do Caps e pacientes Edvaldo recebeu parte da equipe do Caps e pacientes
A capital sergipana foi reconhecida nacionalmente após uma reportagem exibida no último sábado (19), na TV Globo, no programa Como será?, apresentado por Sandra Annemberg. Na reportagem intitulada “SUS: A rede de saúde mental que é referência no país” foi exibido como são realizados os atendimentos públicos nos centros de saúde e enfatizada a excelência do atendimento prestado à população em sofrimento psíquico e em dificuldades com o vício em drogas e álcool.

De acordo com a reportagem, “o município é um dos que mais possui capacidade de atendimento de acordo com a recomendação do Ministério da Saúde”.

Assista ao vídeo:



O prefeito de Aracaju salientou a sua alegria em ver que em apenas oito meses conseguiu reestruturar a saúde psicossocial da capital e ser reconhecida nacionalmente. “A gente fica muito feliz em já poder apresentar resultados tão significativos em apenas oito meses, numa área difícil, como é a Saúde Mental, e mesmo tendo que lidar com uma situação de sucateamento, que foi a que encontramos ao chegar à prefeitura em janeiro. É um alento e uma prova de que é possível realizar".

Edvaldo Nogueira fez questão de ressaltar o trabalho da equipe da prefeitura. "Isso é fruto do trabalho em conjunto, com toda a equipe da secretaria municipal da saúde de Aracaju regado de dedicação, atenção com aqueles que precisam e acima de tudo: amor", disse o prefeito, concluindo que parabenizará, “quantas vezes for preciso, a cada um que contribui para mudar a vida dessas pessoas!”

“Vamos continuar trabalhando para reestruturar completamente os serviços”, concluiu o prefeito.

Centros de atenção


Aracaju conta hoje com seis Centros de Atenção Psicossocial, numa rede ampla que atende as especificações da Organização Mundial da Saúde (OMS). A Rede de Atenção Psicossocial de Aracaju (Reaps), possui mais de 1.500 pessoas acompanhadas mensalmente pelos Centros. A prefeitura disponibiliza, de segunda a sexta-feira, o atendimento para toda a população aracajuana que tenha necessidade do acompanhamento. “Ao chegar a alguma das unidades, o cidadão será acolhido, ouvido e avaliado por uma equipe técnica especializada”, afirma a prefeitura.

São cerca de 300 profissionais envolvidos, entre psicólogos, terapeutas ocupacionais, assistentes sociais, enfermeiros, farmacêuticos psiquiatras e médicos clínicos. “Dos seis Caps existentes, cinco unidades também possuem acolhimento noturno para pacientes em crise”.


Fonte: PCdoB, com informações da Ascom/Prefeitura

  • VOLTAR
  • IMPRIMIR
  • ENCAMINHAR

Últimas Mais