Brasil

11 de agosto de 2017 - 18h42

Venezuela para além dos conflitos políticos, um país que pulsa cultura

Divulgação
A Orquestra Sinfônica Simón Bolívar é um dos grandes projetos culturais fomentados pelo Estado A Orquestra Sinfônica Simón Bolívar é um dos grandes projetos culturais fomentados pelo Estado

Sem saber nada além da existência do músico Ali Primera e do filme Pelo Malo, começamos a pesquisa, com um pouco de pânico, é verdade. Mas “pasito a pasito” fomos descobrindo uma Venezuela surpreendente, que pulsa cultura em todas as esferas. A busca acabou sendo muito mais rápida e rica do que imaginávamos.

Para apresentar a literatura venezuelana aos amantes dos livros brasileiros selecionamos dez obras fundamentais do país vizinho. Fizemos uma viagem no tempo, desde os contos e poesias clássicas da década de 20 até uma cena considerada “Beatnik” no final do século 20.

Nas telas, o país impressiona: Pelo Malo está entre diversos outros filmes vencedores de prêmios no mundo todo. Passando pela sua criação no final do século 19, por um dos ápices nos anos 70, até um período de baixa nos anos 80 e 90, o cinema venezuelano nunca se deixou vencer: produziu e batalhou pela sua visibilidade, gerando inúmeras grandes obras. Abordando desde temas sociais e políticos até filmes sensíveis e intimistas, passando pela comédia romântica e pelo terror, aproximou-se da população, sua grande mantenedora. Lutou e conquistou leis de incentivo e políticas públicas que viabilizam a sua produção, passado o período mais crítico, alçou o sucesso. Agora, esse cinema busca cada vez mais aprimorar sua identidade para buscar reconhecimento não só pelo seu povo, mas além do território nacional.

Com relação à música, como nos demais países da América Latina, o que domina as paradas de sucesso e as pistas nas baladas é o reggaeton porto-riquenho. Então destacamos a união deste ritmo com a Orquestra Sinfônica Simón Bolívar em 2011, quando o Calle 13 convidou os 220 jovens dirigidos por Gustato Dudamel para uma apresentação no Grammy Latino.

Nas artes plásticas destacamos o “pintor da luz”. Armando Reverón é o grande artista homenageado no país, no dia de seu aniversário, 10 de maio, é comemorado o “Dia Nacional do Artista Plástico”. Sua obra flerta com a loucura e a genialidade e inspira os jovens artistas contemporâneos.

Esta pesquisa nos mostrou uma Venezuela diversa, contemporânea e urbana. Um país movido a política, que na cultura se volta para os conflitos humanos, as questões do cidadão comum. Enfim, uma arte para o povo.



Do Portal Vermelho

  • VOLTAR
  • IMPRIMIR
  • ENCAMINHAR

Últimas Mais

DELAYED option not supported for table 'tb_noticias_contadores'