Brasil

21 de julho de 2017 - 19h25

 Prefeito de Fundão (ES), Eleazar Ferreira (PCdoB) é vítima de calúnias


 Claudio Machado*

Logo ao assumir o cargo interinamente, o prefeito recebeu um ofício assinados por diversos vereadores, denunciando que haviam graves irregularidades na execução do contrato 087/2013, de prestação de serviços de gerenciamento de resíduos sólidos.

Eleazar determinou que fosse imediatamente instaurada uma auditoria, abrangendo o período de 2013 a 2016, para apurar as denúncias apresentadas pelos vereadores. Ao mesmo tempo determinou a abertura de processo licitatório para contratação dos mesmos serviços, tendo em vista a finalização do prazo contratual da atual prestadora dos serviços.

Par e passo tomou drásticas medidas de fiscalização dos serviços contratados e executados pela prestadora, conseguindo reduzir praticamente pela metade o valor da fatura mensal, ao mesmo tempo em que alcançou melhoria significativa na qualidade dos serviços prestados.

Qual não foi a surpresa do prefeito - que ainda não havia recebido o relatório preliminar da auditoria que ele mesmo determinou que fosse feita - ao ver estampada em um jornal eletrônico capixaba a manchete “Prefeito de Fundão Eleazar Ferreira (PCdoB), é denunciado por manter contratos irregulares”.

O prefeito Eleazar demonstra grande indignação pelas calúnias que fazem contra ele a partir de “notícia” que não foi rigorosa com a apuração dos fatos e, portanto, com a verdade.

A partir dessa “notícia” algumas pessoas de caráteres duvidosos se esconderam atrás de perfis falsos de redes sociais para divulgar as mais absurdas mentiras contra o prefeito. Estes perfis estão sendo rastreados e uma vez identificados seus responsáveis, estes serão devidamente processados.

Como alguém pode ser negligente em relação a algo que nem tomou conhecimento? Além do mais, trata-se de um relatório preliminar, que deve ser encaminhado formalmente ao prefeito para conhecimento, que só depois disso poderá se utilizar do mesmo para aprofundar a fiscalização do contrato nos itens apontados pela auditoria, caso as ações saneadoras da atual gestão ainda não tenham identificado e corrigido algumas das irregularidades apontadas pela auditoria e que eram praticadas durante a gestão anterior.

A manchete estampada pelo jornal eletrônico não é coerente com a verdade, pelo simples fato de que não há e nem poderia haver qualquer denúncia em órgãos de controle contra Eleazar pelos motivos alegados e nem, tão pouco, há nenhum contrato que tenha sido formalmente classificado como irregular administrativa ou juridicamente.

O que há é uma movimentação na câmara de vereadores, por parte de alguns parlamentares, que ameaçam abrir uma CPI o CI para a apuração dos fatos. Seria uma atitude normal de vereadores cumprindo seu papel fiscalizador, não fossem insólitas e insustentáveis as acusações que fazem ao prefeito.

A motivação dos que intentam contra o prefeito objetivando instalar uma CPI, é política e se dá em um momento em que a justiça eleitoral está para definir a data das eleições extemporâneas que irão definir novo prefeito ou prefeita de Fundão, para completar o mandato que vai até 2020.

Mas sabemos que é possível que haja interesses econômicos embutidos nesses ataques ao prefeito, na medida que estas injúrias que tentam desqualifica-lo ocorrem no mesmo momento em que está em curso a licitação que irá contratar a empresa que dará continuidade aos serviços de gerenciamento de resíduos sólidos. Não é novidade para ninguém que esse serviço público terceirizado é motivo de disputas acirradíssimas e talvez a rigorosidade com que Eleazar trata o interesse público pode estar conflitando com interesses privados.

Sabemos também que o gerenciamento de resíduos sólidos (varrição, coleta e destinação final de lixo) é um serviço essencial que não pode ser administrado de forma impulsiva e irresponsável. Qualquer decisão impensada, sem considerar os termos contratuais e a legislação pertinente, pode deixar o município sem a prestação desse serviço e, aí sim, pode levar o prefeito a ser acusado de má gestão e incompetência.

A atual administração, tendo o prefeito Eleazar Ferreira à frente, continuará firme em seu propósito de fazer o melhor para o povo de Fundão, independente do caráter interino do mandato.

Quanto às eleições extemporâneas a serem convocadas pela justiça eleitoral, aqueles e aquelas que desejam se candidatar ao nobre cargo de prefeito municipal, deveriam dedicar seus dias e seus esforços a convencerem o eleitor que possuem as melhores condições para ser o futuro prefeito ou prefeita do município. Ficar apenas atacando e caluniando quem, como Eleazar, que está trabalhando duro para honrar o cargo de prefeito e dar o melhor de si para que os cidadãos e cidadãs de Fundão possam ter melhores dias, não vai ajudar ninguém a conquistar votos.

E para os que possam ainda achar que a atual gestão irá permitir que interesses privados se sobreponham a interesses públicos, tenho certeza que irão continuar batendo em portas erradas.



 *Claudio Machado é secretário estadual de comunicação do Comitê Estadual do PCdoB capixaba

  • VOLTAR
  • IMPRIMIR
  • ENCAMINHAR

Últimas Mais

DELAYED option not supported for table 'tb_noticias_contadores'