14 de julho de 2017 - 14h14

 Condenação de Lula é um atentado contra a democracia

   

 O Estado Democrático de Direito é mais uma vez violado, como vem ocorrendo desde o golpe que afastou Dilma Rousseff da presidência do Brasil, cargo para o qual foi eleita pela segunda vez, com mais de 54 milhões de votos.

O ex-presidente foi condenado por um crime que nunca existiu, que só existe na mal disfarçada determinação da força tarefa – juiz, procuradores e delegados que compõe a operação lava jato - em criminalizar Lula, o PT, o PCdoB e demais organizações partidárias e populares que defendem que o Brasil seja para os brasileiros e brasileiras e não apenas para um pequeno grupo de pessoas que controlam a riqueza nacional em conluio com grandes corporações estrangeiras.

Lula foi condenado não por ter cometido crimes – que jamais cometeu - mas por ter liderado um projeto democrático e popular que ousou construir um país livre, soberano, onde o poder do estado foi utilizado para promover o desenvolvimento nacional, a geração de renda e de trabalho.

Os que o condenaram não o fizeram em cumprimento de um dever de ofício, mas em nome de forças internacionais, aliadas a grupos empresariais nacionais apátridas, cujo único objetivo é explorar e usufruir das imensas riquezas e potencialidades brasileiras e da força de trabalho de nosso povo, sem se importar se às custas da reintrodução da miséria e da fome, há muito banidas pelos governos Lula e Dilma.

O PCdoB conclama todos aqueles e aquelas que têm a democracia como um valor fundamental, que repudiam o arbítrio, a se pronunciarem e resistirem, antes que seja tarde. Hoje foi Lula, amanhã poderá ser qualquer um de nós que poderá sofrer as consequências das seguidas violações do Estado Democrático de Direito.

Devemos exigir que cessem as perseguições ao ex-presidente e que sejam varridas das práticas jurídicas brasileiras as condenações sem provas.



 PCdoB/ES

Secretariado

  • VOLTAR
  • IMPRIMIR
  • ENCAMINHAR

Últimas Mais