Brasil

8 de julho de 2017 - 11h57

Lula: Ainda não aceitam ver o filho da empregada na mesma escola

Reprodução
   

Segundo Lula, nas elites e em parte da classe média brasileira ainda prevalece uma lógica de "Casa Grande e Senzala", fazendo uma alusão ao clássico de Gilberto Freyre. "A minha grande frustração foi constatar que, no Brasil, ainda há muita gente que não aceita que o pobre suba um degrau", disse Lula.

Ele lembra que, em seus governos, não há um empresário ou banqueiro que não tenha ganho muito dinheiro. "O andar de cima não perdeu nada. Só ganhou. Mas os pobres também ganharam e tiveram aumentos salariais durante doze anos consecutivos."

Lula afirma que muitos, no Brasil, não aceitam que o filho da empregada ocupe o mesmo banco escolar de seus filhos. "O preconceito é uma doença gravíssima e se não formos capazes de combatê-lo não seremos uma sociedade verdadeiramente democrática".

O ex-presidente também afirmou que nunca tinha entendido por que a transposição do São Francisco jamais tinha saído do papel. "A verdade é que muita gente depende da pobreza para sobreviver politicamente."



Fote: Brasil 247

  • VOLTAR
  • IMPRIMIR
  • ENCAMINHAR

Últimas Mais