Brasil

4 de julho de 2017 - 13h07

Sindicalista se desfilia do PMDB e expõe crise na base governista

Militantes da Central dos Sindicatos Brasileiros durante as manifestações de 30 de junho contra as reformas Militantes da Central dos Sindicatos Brasileiros durante as manifestações de 30 de junho contra as reformas

O dirigente enfatizou em carta dirigida ao presidente do PMDB, Romero Jucá, que “jamais se viu tamanha irresponsabilidade na história do Brasil”, referindo-se às reformas em tramitação no Congresso Nacional e que afetam gravemente a vida dos trabalhadores brasileiros. Na opinião de Antonio Neto, a aprovação das reformas é o único caminho para a “pequena organização que tomou de assalto o poder” evite a própria derrocada.
 
Segundo Antonio Neto, as reformas estão sendo impostas aos brasileiros para atender interesses “de grandes grupos econômicos e do setor financeiro”. O sindicalista afirma que a postura dos atuais governantes é “digna de governos autoritários” e tenta aprovar medidas que causarão “sofrimento, fome, desregulamentação do mercado de trabalho”.
 
O presidente da CSB finaliza a carta afirmando que uma “pequena cúpula” do PMDB “ignora os anseios e a vontade do povo”, destrói a Constituição de 1988 e rasga os direitos trabalhistas e sociais.
 



Do Portal Vermelho, com informações da CSB

  • VOLTAR
  • IMPRIMIR
  • ENCAMINHAR

Últimas Mais