Brasil

23 de maio de 2017 - 16h48

Ex-oficial da CIA: Estratégia de Trump pode gerar guerra com Irã


Salman Abdulaziz condecora Donald Trump em Riade
No domingo, na Cúpula Árabe-islâmica americana em Riade, Trump disse que o Irã vem apoiando terroristas, milícias e grupos extremistas que espalham a destruição e o caos em todo o Oriente Médio.

“Temo que estaremos olhando para a guerra com o Irã em pouco tempo, já que está claro que Trump e seus conselheiros já estão completamente nos bolsos israelenses e sauditas sobre o assunto”, disse Giraldi, ex-oficial de casos da CIA e oficial de inteligência do Exército dos EUA Disse na segunda-feira.

Giraldi descreveu a repetida retórica hostil de Trump contra o Irã, tanto na Arábia Saudita quanto em Israel, como uma indicação “deprimente” da provável direção futura da política americana no Oriente Médio.

“A parte mais deprimente da performance foi a difamação do Irã como a fonte de todo o terror e do mal na região, uma melodia que foi reproduzida imediatamente após a chegada a Israel com a promessa de que Teerã nunca terá uma arma nuclear”, disse Giraldi.

Na realidade, o Irã é uma sociedade muito mais aberta e moderada do que a Arábia Saudita, observou Giraldi.

“O Irã realiza eleições, o que os sauditas não fazem, e está muito distante dos inimigos na região, não é uma ameaça para ninguém, mas é conveniente fingir que é apoiar políticas que de outra forma seriam desagradáveis”, disse Giraldi.

A falta de experiência de Trump com a história, os conflitos militares, a política e as sociedades do Oriente Médio o tornaram fácil de manipular, alertou Giraldi.

“Trump é muito ignorante para perceber que o que ele está dizendo é um absurdo”, disse ele.
Os sauditas encomendaram US$ 110 bilhões em novas armas de empresas americanas durante a visita de Trump, permitindo-lhe apresentar a reunião como um grande sucesso, observou Giraldi.

“A venda de armas foi o açúcar utilizado pelos sauditas para embarcar Trump completamente na sua visão de mundo. A ‘luta contra o terrorismo’ tem como objetivo fazer todo o Kabuki [analogia a uma forma de teatro japonês] palatável para o público americano e mundial”, disse Giraldi.

No entanto, em Riade, Trump abandonou qualquer pretensão de acompanhar sua repetida retórica durante as eleições presidenciais dos Estados Unidos no ano passado para responsabilizar os líderes sauditas por suas décadas de apoio financeiro e outros para extremistas islâmicos, afirmou Giraldi.

“Os sauditas foram, naturalmente, o principal financiador do terrorismo islâmico sunita, o que Trump não ousaria dizer”, observou.


Fonte: Irã News

  • VOLTAR
  • IMPRIMIR
  • ENCAMINHAR

Últimas Mais