Brasil

20 de abril de 2017 - 13h44

Rússia exige investigação sobre uso de armas químicas na Síria


Dmitri Medvedev Dmitri Medvedev
O ocorrido em Idlib parece uma boa e pensada provocação que permitiu aos Estados Unidos lançar um ataque contra uma base síria na província de Homs, declarou Medvedev, que qualificou esse ato de agressão contra um estado soberano.

Serão os investigadores independentes que devem determinar o que aconteceu realmente na localidade síria de Jan-Sheijon, algo em que insiste nosso país, destacou.

Rússia encontra-se em Síria, recordou, por convite do governo dessa nação para lutar contra grupos terroristas, enquanto Estados Unidos carece de autorização alguma na nação levantina.

A campanha eleitoral de Donald Trump fazia referência em todo momento à necessidade de lutar contra o terrorismo, em especial contra o movimento Estado Islâmico (EI), sem importar quem está no Governo, destacou o estadista.

No entanto, a primeira ação de Trump na Síria é uma ação bélica contra suas autoridades, da qual só sai favorecido o EI, pois com a recente ação bélica norte-americana se viu com liberdade para atuar, estimou.

Medvedev destacou durante sua presença ante os deputados russos que o complexo militar industrial registrou rendimentos em 2016 por 15 bilhões de dólares, enquanto o pacote de contratos nessa esfera supera os 50 bilhões de dólares.

Além disso, o premiê russo declarou que pela primeira vez em muitos anos o pedido estatal de defesa se cumpriu em 99 por cento no passado ano.

Procuramos agora um crescimento de 30 por cento da produção civil em nosso complexo militar-industrial, mas esse processo deve estar vinculado com mercadorias de alto valor agregado e tecnológico, esclareceu.

Isso concerne a esferas da informática, a medicina, cosmonáutica e a aeroespacial e outras similares, apontou.


Fonte: Prensa Latina

  • VOLTAR
  • IMPRIMIR
  • ENCAMINHAR

Últimas Mais