Brasil

31 de março de 2017 - 13h56

Segundo porta-aviões da China será lançado em breve


www.news.cn
Novo porta-aviões é construído em Dalian Novo porta-aviões é construído em Dalian
Quanto ao seu lançamento, Wu disse que a data será anunciada em breve e que não vão "manter o público à espera por muito tempo".

Wu fez tal observação em resposta à especulação da mídia de que o porta-aviões seria lançado a 23 de abril – na comemoração do 68º aniversário da fundação da Marinha do Exército de Libertação Popular.

A fase de equipamento geralmente implica instalação de radares, motores e outros componentes-chave. Contudo, alguns equipamentos, como os sistemas de armas, precisam também ser instalados após o lançamento da embarcação, disse Zhu Chenghu, professor da Universidade de Defesa Nacional.

"O lançamento é apenas o primeiro passo", referiu, acrescentando que "tendo em conta o progresso atual, o porta-aviões deveria passar por um ou dois anos de testes, tanto no cais como no mar, antes de poder ser oficialmente entregue à Marinha”.

"No entanto, a China lançar seu primeiro porta-aviões de design nacional é um passo monumental para a construção de uma marinha de classe mundial", reforçou. "As valiosas lições aprendidas com a construção desta embarcação a partir do zero ajudarão a China a construir mais porta-aviões em menos tempo no futuro, permitindo alcançar a prontidão de combate mais rapidamente".

De acordo com o Ministério da Defesa, o novo porta-aviões está a ser construído em Dalian, província de Liaoning. Terá um deslocamento de cerca de 50.000 toneladas métricas, bem como motores convencionais e sistemas de lançamento de caças semelhantes aos do primeiro porta-aviões, Liaoning.

A diferença mais importante reside no papel dos dois navios, explicou Zhu, enquanto o Liaoning é principalmente usado para fins de treinamento e pesquisa, o novo porta-aviões irá concentrar-se no combate e defesa.

A nova embarcação terá mais espaço de carga, um radar mais sofisticado, sistemas de armas mais avançados e motores mais estáveis do que o Liaoning, que foi reajustado de um transportador inacabado da era soviética – o Varyag – que "não deixou muita margem para otimização e melhoria, devido ao seu antigo design ", adicionou.

O major-general do ELP, Peng Guangqian, estrategista militar, disse que os porta-aviões chineses, bem como os de outras nações, ainda estão muito atrás dos homólogos norte-americanas em termos de tamanho, escala e capacidade de combate, pois "a doutrina da Marinha dos EUA exige dominação global incontestada, enquanto os espécimes chineses são usados principalmente para a autodefesa ".

Quando perguntado sobre os exercícios recentes das forças militares chinesas no lado chinês da fronteira com o Mianmar, após confrontos entre as forças de segurança e rebeldes étnicos, Wu disse que as simulações faziam parte do cronograma de treinamento anual e a China havia informado o país antes de iniciar os exercícios.


Fonte: Diário do Povo

  • VOLTAR
  • IMPRIMIR
  • ENCAMINHAR

Últimas Mais