Economia

31 de março de 2017 - 9h30

Com foco no desmonte, Petrobras vai retomar venda de ativos


   
Estão no novo feirão de Parente a venda de participação na BR Distribuidora, a venda da concessão dos campos de Baúna e Tartaruga Verde, a venda de participação no campo de Saint Malo, no Golfo do México, a cessão de concessões em águas rasas nos Estados de Sergipe e Ceará e a cessão de um conjunto de campos terrestres.

De acordo com a empresa, as medidas não interferem no cumprimento na meta de parcerias e desinvestimentos estabelecida no Plano Estratégico, de arrecadar 21 bilhões de dólares no biênio 2017/2018. O plano de venda de ativos e corte de investimentos tem sido duramente criticado pelos petroleiros e economistas. Eles avaliam que ss decisões administrativas da atual gestão da Petrobras podem comprometer o seu futuro.

Em 15 de março, o TCU revogou com ressalvas uma medida cautelar que suspendia a venda de ativos da Petrobras, mas obrigou a maior parte dos processos, inclusive o da BR Distribuidora, a voltar à estaca zero.

Naquela decisão, o TCU chegou a liberar o prosseguimento da venda de Tartaruga Verde (fatia de 50 por cento), Baúna (100 por cento) e dos ativos em águas profundas do Golfo do México no estágio em que se encontravam, mas agora a Petrobras indicou que eles deverão também ser vendidos em um processo totalmente novo.

Reportagem da Reuters na quarta-feira mostrou que a Petrobras informou à Justiça que a australiana Woodside Petroleum, que seria parceira da Karoon na tentativa de adquirir os ativos em Tartaruga Verde e Baúna, teria desistido do processo devido à demora para concluir a venda ampliada por dificuldades relacionadas a "infundado questionamento judicial".

Já no caso do campo de Saint Malo, a petroleira disse nesta sexta-feira que a venda "não terá prosseguimento em razão do processo não ter alcançado os resultados esperados", sem dar outros detalhes.

A Petrobras afirmou esperar que dentro de duas semanas os projetos que integrarem efetivamente a nova carteira e que estiverem aptos a iniciar a fase de estruturação serão prontamente iniciados e, posteriormente, divulgados ao mercado.

A estatal destacou que três processos --a venda de 90 por cento da Nova Transportadora do Sudeste (NTS), a venda da Liquigas e a venda da PetroquímicaSuape e Citepe--, todos com os contratos assinados, continuam normalmente.


Com Brasil 247 e Reuters

  • VOLTAR
  • IMPRIMIR
  • ENCAMINHAR

Últimas Mais