Cultura

17 de fevereiro de 2017 - 15h28

Raduan Nassar é um adversário do governo, diz ministro da Cultura


Marcos Alves
A ordem da cerimônia foi invertida e Raduan, que deveria falar ao final, fez seu discurso primeiro A ordem da cerimônia foi invertida e Raduan, que deveria falar ao final, fez seu discurso primeiro
Em seu discurso, Raduan denunciou os impactos do golpe de Estado e afirmou que, diante de tantos retrocessos promovidos pelo governo golpista ao longo dos últimos meses, não poderia ficar calado.

Como a ordem da cerimônia foi invertida, e o ministro, que deveria falar primeiro, teve a última palavra, aproveitou para dar sua resposta, diferente do escritor, sem nenhuma compostura. Descontrolado e com o dedo em riste, Freire declarou que Raduan “é um adversário recebendo um prêmio do governo que ele considera ilegítimo”.

A plateia – composta por Marilena Chauí, Celso Amorim e outras figuras ilustres – entrou em defesa do escritor rapidamente. Alguns gritavam “Fora Temer”, outros diziam “hoje é o dia do Raduan, para da falar”.

Em seu discurso, Raduan disse que “vivemos tempos sombrios, muito sombrios” e denunciou a truculência do governo golpista. “Vivemos tempos sombrios, muito sombrios: invasão na sede do Partido dos Trabalhadores em São Paulo; invasão na Escola Nacional Florestan Fernandes; invasão nas escolas de ensino médio em muitos estados; a prisão de Guilherme Boulos, membro da Coordenação do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto; violência contra a oposição democrática ao manifestar-se na rua. Episódios todos perpetrados por Alexandre de Moraes.”

Diante de um cenário de violação do Estado de Direito, o escritor disse que não poderia ficar calado.

Assista aos dois discursos: 





Do Portal Vermelho

  • VOLTAR
  • IMPRIMIR
  • ENCAMINHAR

Últimas Mais

DELAYED option not supported for table 'tb_noticias_contadores'