América Latina

8 de fevereiro de 2017 - 9h19

Jovenel Moïse toma posse como novo presidente do Haiti


Efe
 O novo presidente do Haiti, Jovenel Moïse, em seu primeiro discurso no cargo após tomar posse nesta terça-feira (7)  O novo presidente do Haiti, Jovenel Moïse, em seu primeiro discurso no cargo após tomar posse nesta terça-feira (7)
Moïse prestou juramento em Porto Príncipe e se transformou no 58º presidente do Haiti, pondo fim ao governo interino de Jocelerme Privert, iniciado em fevereiro de 2016, em meio a uma profunda crise política.

O novo líder haitiano recebeu das mãos do presidente da Assembleia Nacional, Youri Latortue, a faixa presidencial entregue por Privert. Após o juramento sobre a Constituição, Moise deixou o parlamento e se dirigiu ao Museu do Panteão Nacional para fazer uma homenagem aos heróis do país.

Em seu primeiro discurso, Moise afirmou que trabalhará para "criar as condições para melhorar a vida de todos os haitianos". O novo presidente agradeceu ao governo anterior e a todos os que "contribuíram ao retorno da ordem constitucional".

"Vou precisar de todos, os candidatos, os políticos, os que votaram em mim e os que não votaram para mudar este país, para construir um melhor Haiti para todos", disse.

Moïse, que ganhou no primeiro turno do pleito de novembro do ano passado depois que as eleições foram adiadas em quatro ocasiões após a anulação dos resultados das de outubro de 2015, disse que, “se mudarmos nossa mentalidade, vamos poder mudar o país”.

O novo presidente, que pronunciou seu primeiro discurso nos jardins do Palácio Nacional, que ficou praticamente destruído pelo terremoto de 2010, também declarou que quer criar as condições para que os haitianos no exterior possam voltar a trabalhar em seu país.

Por fim, Moïse garantiu estar consciente da grande tarefa que tem pela frente, mas ressaltou que o "povo escolheu paz e ordem sobre a incerteza".

Participaram da cerimônia de posse de Moise o presidente da República Dominicana, Danilo Medina, assim como representantes de 78 delegações internacionais. O subscretário de Assuntos Políticos do Departamento de Estado dos Estados Unidos, Thomas Shannon, também foi a Porto Príncipe para acompanhar a cerimônia.

Após a anulação dos resultados do pleito de outubro de 2015, as eleições foram adiadas em quatro ocasiões, sendo realizadas apenas em 20 de novembro de 2016. Moïse, do Partido Hatiano Tet Kale (PHTK), conquistou a vitória no primeiro turno com 55,6% dos votos.

A vitória de Moïse foi seguida de protestos por parte da oposição, que acusou fraudes no pleito. As acusações foram rejeitadas pelo Tribunal Eleitoral do país, que, após investigações, informou no começo de janeiro que ocorreram irregularidades pontuais, mas não em dimensões suficientes para alterar os números da votação.

Com a posse do novo presidente, se encerra no Haiti um período de um ano de instabilidade política, visto que o país caribenho era dirigido por um governo provisório desde fevereiro de 2016, quando o ex-presidente Michel Martelly encerrou seu mandato. A partir de então ocorreram diversas tentativas fracassadas de se realizar um novo pleito presidencial.

A votação que elegeu Moïse deveria ter acontecido em 9 de outubro de 2016 após ter sido adiada em três outras ocasiões, mas foi novamente adiada devido ao caos gerado pela passagem do furacão Matthew no dia 4 do mesmo mês, que deixou pelo menos 573 mortos.


Fonte: Opera Mundi

  • VOLTAR
  • IMPRIMIR
  • ENCAMINHAR

Últimas Mais

DELAYED option not supported for table 'tb_noticias_contadores'