Brasil

9 de janeiro de 2017 - 11h30

Conheça o sucessor de Rafael Correa, candidato da Revolução Cidadã


Ivan Kashinsky/Aurora Select
Desde que foi baleado na coluna durante um assalto, Moreno precisa de cadeira de rodas para se locomover, esta mudança em sua vida é o marco de sua dedicação às políticas públicas voltadas às pessoas com deficiência Desde que foi baleado na coluna durante um assalto, Moreno precisa de cadeira de rodas para se locomover, esta mudança em sua vida é o marco de sua dedicação às políticas públicas voltadas às pessoas com deficiência
O político de 63 anos compõe com o atual vice-presidente da República, Jorge Glas, a chapa presidencial do partido do governo que busca manter-se à frente da nação para dar continuidade às políticas de inclusão e avanço econômico iniciadas pelo chefe de Estado, Rafael Correa com a Revolução Cidadã.

Formado em administração pública, Moreno tem uma reconhecida trajetória na política por ter sido vice-presidente do Equador de 2007 a 2013, período em que conquistou o carinho nacional por impulsionar a Missão Manuel Espejo, para dedicar atenção às pessoas com necessidades especiais.

Moreno também é reconhecido por promover o programa Joaquín Gallegos, cujo principal objetivo é garantir uma renda mínima a pessoas com necessidades especiais.

Desde dezembro de 2013, o secretário-geral da Organização das Nações Unidas, Ban Ki-moon, designou Lenín Moreno como seu Enviado Especial sobre Deficiência e Acessibilidade, cargo que ocupou até que pediu sua renúncia em outubro passado, para candidatar-se à presidência da República do Equador nas eleições gerais que acontecem no próximo dia 19 de fevereiro.

Sob o lema: Mudanças para renovar a pátria. Um programa para a sociedade, a educação, a produção e o trabalho digno, o Plano 2017- 2021 de Lenín Moreno convoca os equatorianos a serem protagonistas da revolução que vivem.

Em todas as suas intervenções perante o país, o antigo vice-presidente insiste em que seu projeto assegura igualdade e justiça plenas para fortalecer a inclusão e coesão sociais, assim como fortalecer o respeito à democracia e às diversidades.

Apesar de criticado pela oposição, que pede ao povo para votar na mudança e não na continuidade representada por Lenín Moreno, o candidato oficial está à frente nas pesquisas desde que foram definidos os oito concorrentes na disputa pelo cargo máximo do Palácio de Carondelet.



Do Portal Vermelho, com Resistência

  • VOLTAR
  • IMPRIMIR
  • ENCAMINHAR

Últimas Mais