Brasil

27 de dezembro de 2016 - 16h48

Reforma da Previdência deve mobilizar parlamentares em 2017 


CTB
Há indicativo de que a proposta deve gerar muita polêmica e discussão e dificilmente será aprovada com o texto original.   Há indicativo de que a proposta deve gerar muita polêmica e discussão e dificilmente será aprovada com o texto original.  
A proposta do governo prevê aposentadoria para trabalhadores da iniciativa privada e do serviço público - homens e mulheres - aos 65 anos, com 49 de contribuição. Isso para ter direito ao benefício integral. Essa é a grande polêmica no texto, porque os opositores da medida dizem que essa é uma conta inalcansável.

A líder da oposição, deputada Jandira Feghali (PCdoB-RJ) critica também à equiparação de condições entre homens e mulheres. “É um desrespeito à história de luta das mulheres brasileiras que têm a dupla jornada, a tripla jornada, e que têm também o seu horário de trabalho. Obviamente que isso lhe dá uma especificidade e um direito à aposentadoria com idade menor”, afirma.

O deputado Arnaldo Faria de Sá (PTB-SP) é contrário à idade de 65 anos porque a realidade brasileira, segundo ele, é de dificuldade de colocação no mercado de trabalho para os idosos. Eledestaca que, atualmente, pessoas de mais de 40 anos já têm dificuldade de emprego e são 12 milhões de pessoas desempregadas.

“O governo tem que atender o mercado financeiro, mas não pode deixar de atender o simples, o humilde, o abandonado do trabalhador brasileiro”, afirma.



De Brasília, com Agência Câmara 

  • VOLTAR
  • IMPRIMIR
  • ENCAMINHAR

Últimas Mais