Brasil

23 de agosto de 2016 - 11h38

Deputados aprovam continuidade do Programa Mais Médicos 


   
O relator-revisor da proposta na comissão mista que deu parecer à MP, deputado Jorge Solla (PT-BA), afirmou que a continuidade do Mais Médicos é o reconhecimento da decisão corajosa da presidenta Dilma de iniciar o programa. Ele lembrou ainda o apoio da população ao programa: “A população adotou o Mais Médicos, sabe do sucesso e não tem golpe que derrube o programa”.

“A presidenta Dilma assumiu de forma perspicaz a decisão de abrir o país para receber médicos de outros países para atuar em regiões onde não temos médicos brasileiros interessados em ocupar. Além disso, o programa une ação emergencial com ação estruturante de abertura de mais vagas para formar brasileiros em medicina, criando oportunidades”, avaliou o parlamentar, que parabenizou a presidenta Dilma “pela ousadia de enfrentar a avalanche conservadora para garantir o atendimento à população que mais precisava”.

“O Mais Médicos deu conta de uma tragédia no Brasil, que é o fato de não termos médicos suficientes para atender com qualidade nossa população. A prova do sucesso do programa é que hoje, mesmo aqueles que eram contra a medida na época da presidente Dilma, votaram a favor”, afirmou a deputada Angela Albino (PCdoB-SC).

Para a deputada Jô Moraes (PCdoB-MG), o envio desta MP foi um dos últimos atos da presidente Dilma Rousseff antes ter sido afastada do seu mandato. “Ela quis garantir que o povo brasileiro não teria seu atendimento à saúde interrompido. E nós conseguimos nos certificar disso aqui.”

Criado em 2013, o Mais Médicos conta com 18.240 médicos, que atuam em 4.058 municípios e 34 postos de saúde voltados para a população indígena. O programa criado no governo Dilma beneficia cerca de 63 milhões de pessoas com assistência médica. 


De Brasília, com agências 

  • VOLTAR
  • IMPRIMIR
  • ENCAMINHAR

Últimas Mais