4 de dezembro de 2015 - 17h30

Urariano Mota: Cunha, agora, vale menos que antes do impeachment


   
Para Urariano, “o problema é que a essa intensa ficha criminal, o nobre chantagista acrescentou o crime de sequestro, na medida em que procurou fazer da presidenta Dilma uma refém. E não exagero, porque sequestro é um crime de reter à força um bem ou pessoa com intenção de cobrar dinheiro, vantagens ou providências imediatas para a concessão do resgate. Mas nem toda força é física, é claro”.

O colunista observa que o presidente da Câmara já há algum tempo havia “sequestrado o Congresso e, como bom criminoso, aumentava o preço do resgate a cada votação. Ele sacrificou o Brasil para exercer o próprio arbítrio e delinquência. Agora, posto contra o muro, tirou a máscara”.

Ouça a íntegra de sua reflexão em sua coluna abaixo:

Eduardo Cunha, agora, vale menos que antes do impeachment


  • VOLTAR
  • IMPRIMIR
  • ENCAMINHAR

Últimas Mais