Mundo

11 de novembro de 2014 - 19h48

Aumenta tensão na Palestina em aniversário da morte de Arafat


AFP
O corpo do líder palestino ofi exumado no início de 2012 para as investigações sobre o envenenamento por um elemento radioativo.
O corpo da vitima, identificado como Nihad Mufid Ahmad Nalowa, foi trasladado ao distrito de Tulkarem, onde morava, segundo fontes israelenses, que se negaram a comentar o assassinato.

A morte de Nalowa, um dos milhares de palestinos que se vêem obrigados a procurar Israel em busca de sustento, aumentou ainda mais as tensões em Jerusalém, onde há semanas os palestinos estão submetidos a medidas restritivas especiais pela potência ocupante.

A morte de Arafat, fundador do Al Fatah, um dos movimentos que compõem a Organização para a Libertação de Palestina, é objeto de polêmica, ainda que para a maioria dos palestinos existam poucas dúvidas de que foi consequência de um plano israelense.

No final de 2013, cientistas de um instituto de investigações suíço encontraram nos objetos de Arafat alto conteúdo de Polônio 10, uma substância radiativa capaz de causar a morte.

O pessoal que tratou o líder palestino em um hospital militar dos arrabaldes de Paris não emitiu um relatório sobre a causa-mortis do líder palestino, iniciador da luta contra a ocupação israelense em janeiro de 1965.

Fonte: Prensa Latina


  • VOLTAR
  • IMPRIMIR
  • ENCAMINHAR

Últimas Mais